Categorias
Música Notícias do Jornal

Todos os tons e sons de Sandra de Sá

 

São quatro décadas de carreira, muita história e muita música pra cantar É nessa pegada que acontece o “Sandra de Sá – Acústico”. Serão quatro apresentações em formato on-line (live), nos dias 19 e 26 de fevereiro,  05 e 12 de março, com transmissão no canal Verastar. O espetáculo do dia 26 de fevereiro trará ainda uma atração extra: um bate-papo e Sandra de Sá com o público. Uma afetuosa contrapartida cultural porque a cantora, apesar do berço humilde, realizou o sonho de  tornar-se uma artista conhecida  e sua trajetória pode ser incentivo àqueles que almejam realizar desejos que poderiam parecer inatingíveis.

Sandra  é um desses casos raros  que não encontram similares na música brasileira por conta de sua personalidade, potência vocal invejável, e timbre ímpar e inconfundível.  “Acústico”, o novo espetáculo,  foi concebido como um presente para o público que a acompanha desde a consagração conquistada no FESTIVAL MPB-80, da Rede Globo. Recheado de hits,  é uma viagem no tempo . No roteiro musical, canções como “Dançando com a vida”, “Sozinha”, “Vale Tudo”, “Olhos Coloridos”, “Bye, bye Tristeza”,  “Soul de Verão”.

“Sandra de Sá – Acústico” integra a chamada emergencial de Premiação nº 01/2020  “Retomada Cultural RJ” – Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SECEC/RJ). E poderá ser visto pelo link: http://bit.Iy/VerastarProducoes.

Uma trajetória de sucesso

Cantora, compositora e instrumentista, Sandra não ultrapassou quatro décadas de sucesso por mero acaso. Vinda de uma família de músicos,  a artista ouvia de tudo na infância, adolescência, e frequentou alguns dos mais famosos bailes da periferia carioca. Esse mix de sons, ritmos e influências resultaram em uma obra única e apreciada por fãs de todas as idades, credos e cores. Do Brasil e exterior.

Aliás, De Sá,  que conquistou todas as principais premiações nacionais,sendo também indicada a um Grammy Latino. Ano passado, disputando com outros compositores célebres,  teve a honra de ver seu samba-enredo  campeão e de atravessar a Marquês de Sapucai  com a  Mocidade Independente de Padre Miguel, escola que homenageou Elza Soares.

Foto Raissa Forte

Categorias
Cultura Fica a Dica Rio

Batalha do Bem: Rapers, Mcs, Bboys e grafiteiros se reúnem em grande encontro virtual

 

Organizado pelo rapper e produtor cultural Tonny Boss, “Roda Cultural Consciente” pretende unir admiradores da cultura hip hop

No domingo, 14 de fevereiro, às 14h, a internet ficará agitada. É que será apresentada mais uma edição da Roda Cultural Consciente – RO.C.C, que pretende reunir Mcs, Bboys, grafiteiros e djs, em um grande encontro virtual. A proposta é aproximar apaixonados pela cultura hip hop, que poderão batalhar uns com os outros, num duelo do bem, ou mesmo assistir ao embate. A Transmissão ao vivo acontece no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCYDGCQ0-3XYd3S2x_RlHCLQ

Apresentada pelo rapper e produtor cultural Tonny Boss, profissional que  além de trabalhar há mais de 10 anos com atrações da cultura Hip Hop, tem longa bagagem com projetos sociais de aulas de basquete na Zona Oeste carioca, o formato da batalha, reunirá em um local físico, apenas os participantes da batalha, respeitando as normas de segurança do Ministério de Saúde. A plateia, assistirá de forma virtual, podendo votar em seu preferido, através de emojis no Youtube do organizador. A contagem dos votos será feita ao final das disputas, anunciando os vencedores. E, quem deseja batalhar, ainda há tempo, basta se inscrever pelo youtube do organizador Tonny Boss.

Como atrações convidadas, o público contará com renomado rapper Ramonzin, com grandes sucessos como “A Se Ela Soubesse”, e a djs Dinna Groove embalando a pista e as batalhas de bboys. Haverá sorteios de prêmios aos participantes que responderem as perguntas que serão lançadas ao longo do evento. Já o ganhador das batalhas receberá uma premiação em dinheiro e uma tatuagem.

Tonny, idealizador do projeto, conta que sente saudades das grandes rodas culturais, mas, não desanima. Para ele o formato virtual também é valido, pois proporciona ainda mais possibilidades de alcançar novos públicos, que poderiam ter dificuldades, se o evento fosse físico. Com esta edição virtual, ele pretende mostrar a importância da cultura e da internet, como ferramenta de inclusão social se usadas da maneira correta.

A pandemia baqueou muita gente, e mesmo ainda num cenário de incertezas, precisamos de válvulas de escape pra fugirmos um pouco da angústia, depressão e preocupações causadas pela COVID-19. Nossa preocupação é promover entretenimento, com conscientização da importância de nos cuidarmos, além de reunir os amantes da cultura hip hop.

Tonny revela sempre ter aquele típico friozinho na barriga, antes e durante qualquer produção. E, sentirá falta do calor e energia do público. Mas, acredita que os amantes da cultura hip hop curtiram o formato digital e será de grande valia para a inclusão social, já que o rap, é uma cultura oriunda das periferias, criando conexões entre o artista e o público.

Meu desejo é que a versão digital possa alcançar não só o público da Zona Oeste do Rio, como de outros estados. Será maravilhoso interagir com outros apaixonados pela cultura hip hop. As rodas culturais sempre trazem um pouco de conhecimento, cultura e sabedoria, e muitas ainda são alimentadas por rimas ferozes e cheias de malandragem, brinca, onde o próprio adversário alimenta a criatividade do MC. Espero que o público da cultura urbana se reúna com a gente. Estou ansioso para este evento.

Serviço:

Inscrições para participação e local para  assistir a transmissão ao vivo: https://www.youtube.com/channel/UCYDGCQ0-3XYd3S2x_RlHCLQ

Categorias
Cultura Fica a Dica Rio

Festival Coro na Quarentena começa nesta sexta-feira 29/01

 

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc e Corbelino Cultural, apresentam:

FESTIVAL CORO NA QUARENTENA


Projeto criado no início da pandemia como rede solidária de acolhimento e motor para gerar renda para quarentenas mais vulneráveis reúne artistas e profissionais da área de saúde, com nomes como Mel Lisboa, Maria Rezende, Natasha Corbelino, Ramon Nunes Mello, entre outros.

Em 42 lives, com apresentações de teatro, dança, performance, entrevistas e conversas, a ideia é compartilhar criações e arrecadar doações para trabalhadorxs mais afetados economicamente.

As ações do Festival têm como pilares a cultura e a saúde coletiva. Entre cenas, performances, espetáculos, shows, coreografias, filmes e leituras, entrevistas e conversas com profissionais de diferentes áreas serão 42 lives. Haverá, ainda, duas conversas com movimentos sociais parceiros do CORO na quarentena: a “Frente de Mobilização da Maré” e o “Pela Vida de Nossas Mães”, que reúne filhos que se mobilizaram para arrecadar dinheiro para que suas mães empregadas domésticas possam se manter em isolamento seguro. Outra atividade é uma oficina de instrumentalização nos recursos técnicos das plataformas do Instagram e do Zoom como possíveis campos de trabalho na área da cultura. Para finalizar, o projeto inclui a publicação dos “Cadernos de Coro”, com textos críticos sobre as apresentações da programação e registro das memórias do coletivo. “Por meio de parcerias, articulamos uma rede criativa ampla, onde a solidariedade é o motor. Buscamos arrecadação financeira emergencial e através do compartilhamento de conhecimentos para a saúde coletiva em tempos de pandemia. Somos coro para não ser corona”, finaliza Natasha.

Viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, o primeiro Festival CORO na Quarentena acontecerá num viradão cultural
de 29 a 31 de janeiro com mais de dez lives diárias pelo
Instagram: @coro.naquarentena 

Cada espectador escolhe com quanto quer contribuir, com valores entre R$ 10 e R$ 200. As contribuições são feitas pelo site do Sympla: https://www.sympla.com.br/corona-quarentena-janeiro__1095945

Ficha Técnica

Idealização e articulação: Natasha Corbelino

Elenco: Adriana Schneider Alcure, Allegra Ceccarelli, Ana Fialho, Andréa Cals, Bárbara Abi-Rihan, Camila Rocha, Carmem Gadelha, Claudia Olsieski da Cruz, Diogo Oliveira, Flavia Milioni, Gláucio Gomes, Gricel Osorio Hor-Meyll , Gustavo Acioli, Helena Borschiver de Medeiros, Inez Viegas, Larissa Siqueira, Luci Vilanova, Ludmila Rosa, Maria Rezende, Marina Monteiro, Mel Lisboa, Monique Vaillé, Natasha Corbelino, Patricia de Castro Moreira Dias, Patricia Pinho, Paulo Hamilton Santos Silva, Poliana Paiva, Ramon Nunes Mello, Renato Carrera, Rodrigo Acioli Moura, Silvia Vieira, Suzana Nascimento, Tatjana Vereza, Vini Couto

Direção de Produção: Natasha Corbelino

Produção Executiva: Monique Vaillé

Produção de Base : Waleska Arêas

Assistente de Produção Programação – Apresentações artísticas e Mídias Sociais: Tatjana Vereza

Tradução para Libras: JDL Traduções

Assessoria de Imprensa: Júnia Azevedo – Escrita Comunicação

Programador Visual: Lucas Moratelli

Administração Financeira: Carla Torrez Azevedo

Supervisão da Prestação de Contas: Natália Simonete

Realização: Corbelino Cultural

Serviço

FESTIVAL CORO NA QUARENTENA
Dias: 29 a 31 de janeiro de 2021

Horários: das 9h às 23h
Duração: cada live terá uma hora de duração

Local: Instagram @coro.naquarentena

Classificação etária: 16 anos
Ingresso: gratuito

Categorias
Cultura

ELIANA PITTMAN Lança Álbum em Show no Teatro Rival Refit com Trasnsmissão ao Vivo pelo YOUTUBE

A convite do Teatro Rival Refit, a cantora e atriz ELIANA PITTMAN faz, no dia 24 de outubro, sábado, transmissão especial do show de lançamento do seu novo álbum, “ONTEM, HOJE E SEMPRE”, que reúne regravações de canções de Vinicius de Moraes, Martinho da Vila, Fito Paez, Chico Cesar, Candeia, Cazuza e Gilberto Gil, entre outros.

Como bônus, há mais oito faixas ao vivo de um show gravado em 1970, em Paris, com repertório de clássicos da música brasileira e Bossa Nova.

“Com este trabalho, festejo com orgulho e gratidão o meu ontem e o meu hoje, que vem a ser o meu sempre”, afirma a cantora.

Trata-se de uma das mais versáteis cantoras da música brasileira, tendo sido a única brasileira a figurar a capa da revista norte-americana Ebony (principal revista daquele país destinada ao público negro).

No imaginário musical de quem viveu os anos 1970, a cantora carioca é a vivaz intérprete de sambas e carimbós que lhe deram fama nacional naquela década áurea, porém a verve internacional herdada por seu pai, o extraordinário saxofonista americano Booker Pittman, fez dela uma das nossas principais cantoras de jazz. Eliana, que gravou dezenas de discos e se apresentou em mais de 30 países, continua sua carreira em plena forma se apresentando em shows solos e de formatos diversificados em projetos especiais paralelos como “Divas do Sambalanço” (ao lado de Claudette Soares e Dóris Monteiro) e “100 anos de Dalva de Oliveira” (ao lado de Agnaldo Timoteo, Marcio Gomes e Ellen de Lima).

Foto: Divulgação

Eliana é filha (adotiva) de Booker Pittman, importante saxofonista e clarinetista de jazz nascido em Dallas (EUA), que migrou para o Brasil a partir dos anos 1930, sendo carinhosamente apelidado de Buca por ninguém menos do que Pixinguinha (1897–1973), que também tocava saxofone, entre outros múltiplos atributos artísticos.

E agora a cantora lança Eliana Pittman Hoje, Ontem e Sempre, disco produzido por Thiago Marques Luiz, que traz como bônus um álbum ao vivo com registros de um espetáculo em Paris, que foi viabilizado quando Marques Luiz soube por Eliana que a cantora tinha no seu acervo particular de fitas de rolo gravações de shows feitos dentro e fora do Brasil nos anos 1960 e 1970. Uma dessas fitas reproduzia o áudio do show feito por Eliana na Cidade Luz. “Este disco é uma dívida que Eliana tem com seu público que não vê um disco inédito desde 1991 e é também uma dívida de seu público para com ela”, relata o produtor Thiago Marques Luiz. “Que eu possa realizar coisas bonitas na minha vida, ajudar as pessoas através do meu canto, trazendo esperança, paz e amor para cada um que escuta o som da minha voz”, finaliza.

Faixa a Faixa:

1 – O Morro Não Tem Vez (Carlos Lyra / Vinicius de Moraes / Tom Jobim); 2 – Gamei (Délcio Luiz / André Renato); 3 – Ex-Amor (Martinho da Vila); 4 – Drão (Gilberto Gil); 5 – Onde Estará O Meu Amor (Chico César); 6 – Até A Lua (Tião Carvalho); 7 – Preciso Dizer Que Te Amo (Dê / Cazuza / Bebel Gilberto); 8 – Preciso Me Encontrar (Candeia); 9 – Yo Vengo A Ofrecer Mi Corazón (Fito Paez); 10 – Tributo à Vaidade (Café / Iran Silva / Carlinhos Madureira).

Bônus – Show Paris 1970 Boate Don Camillo

11 – Aquele Abraço (Gilberto Gil); 12 – Garoto De Ipanema (Tom Jobim / Vinicius de Moraes); 13 – O Pato (Jaime Silva / Neuza Teixeira); 14 – Desafinado (Tom Jobim / Newton Mendonça); 15 – Big Spender (Cy Coleman / Dorothy Fields); 16 – Manhã de Carnaval (Luiz Bonfá / Antônio Maria); 17 – Ponteio (Edu Lobo / Capinan); 18 – Felicidade (Tom Jobim / Vinicius de Moraes).

Além do repertório do álbum, Eliana cantará, no show, sucessos que marcaram sua carreira, como “Das 200 para Lá” e “Mistura do Carimbó”, e prestar uma homenagem a seu pai, o saxofonista Booker Pittman, falecido há cinco décadas.

O show será transmitido do palco do Teatro Rival Refit para o canal da casa no YouTube.

O acesso é gratuito, mas você pode fazer sua doação espontânea.

Link do youtube Teatro Rival Refit

https://www.youtube.com/channel/UCJhwBwkonCUAsd4MYNrbwQQ

 

 

 

Categorias
Cultura Destaque

Carlos Dafé comemora aniversário com live solidária

Um dos pioneiros do movimento da Soul Music brasileira, também chamado de Black Rio, e criador do gênero Samba Soul, o cantor e compositor Carlos Dafé tem usado a sua arte para ajudar de forma mais efetiva quem mais está sofrendo na pandemia. Em julho, o “Príncipe do Soul” (título dado por Nelson Motta na década de 1970) promoveu uma live solidária para arrecadar alimentos para pessoas em situação de rua e artistas em dificuldade com a paralisação da cultura.

Surgiu daí uma grande rede de “Soulidariedade”, como o próprio batizou, com nomes consagrados, como Tony Tornado, Mano Brown, Serjão Loroza, Gerson King Combo (falecido recentemente), Hyldon, Zeca do Trombone e Gabriel Moura, e da nova geração, como Théo Bial. E o movimento tem dado resultado. Entre doações de empresas e do público em geral, foram arrecadados mantimentos, além de roupas e itens de higiene, que garantiram a distribuição de mais de 120 quentinhas e cestas básicas semanais durante três meses.

No dia do seu aniversário de 73 anos, 25 de outubro, Dafé realiza mais uma live solidária, às 14h. Acompanhado da banda Malandro Dengoso, ele fará uma viagem pelo seu repertório e por outros clássicos da soul music brasileira. A noite também será recheada de histórias da sua convivência com grandes ícones, como Tim Maia, Roberto e Erasmo Carlos.

Foto: Carlos Dafé

Em paralelo, segue em curso uma campanha de financiamento coletivo para manter o projeto pelos próximos meses, levando um fim de ano um pouco melhor a quem mais necessita. Para contribuir acesse: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/forca-na-caminhada-carlos-dafe 

“A pandemia afetou toda a cadeia produtiva da música e tem sido devastadora para diversos artistas, que ficaram privados de conseguir seu sustento com a quarentena. Sem shows, arrecadações de direitos autorais e bilheterias, a imensa maioria não está conseguindo virar esse jogo com outros meios, como as lives, por exemplo. Já as pessoas em situação de rua vivem um desalento ainda maior do que o enfrentado antes disso tudo. Estão encarcerados na solidão das ruas, passando fome e expostos a todo tipo de perigo. O nosso propósito é fazer a diferença nesse momento crítico e ainda de incertezas”, explica o artista.

Com mais de cinco décadas de carreira, Dafé é um dos artistas mais emblemáticos da música brasileira. Quebrou barreiras e preconceitos sendo precursor, com Tim Maia, Cassiano, Hyldon, entre outros, do movimento da soul music no Brasil, nos anos de 1970. Sucessos como “Pra que vou recordar o que chorei”, “A cruz”, “Tudo era lindo” e “De alegria raiou o dia” eternizaram o seu nome na história da MPB. Em 2019, entre as diversas apresentações que fez, subiu ao palco do Rock in Rio para um encontro antológico com Mano Brown, Boogie Naipe, Bootsy Collins e Hyldon.

A live será transmitida pelo canal “Carlos Dafé Oficial”: www.youtube.com/c/CarlosDaféOficial/

Categorias
Cultura Destaque

Curado da covid 19, Diogo Nogueira remarca a “Live dos Pais” para este domingo

Curado da covid 19, Diogo Nogueira retoma sua agenda e projetos. O próximo é a “Live dos Pais”, remarcada para este domingo, dia 23/08,ainda no mês dos pais,também direto de sua casa e através de seu canal do YouTube diogo.no/youtube, às 12h – seu horário escolhido para as lives, com muito samba e gastronomia.

As lives do Diogo Nogueira, batizadas de “Em Casa com Diogo”, se tornaram um ponto de encontro mensal e referência de shows ao vivo pela internet neste isolamento, pela produção diferenciada, em que canta e cozinha sempre com um tema e cenários diferentes, num horário que toda família se reúne, pelo enorme sucesso e audiência crescente, ótimo retorno do público e participação de amigos e fãs.

Categorias
Cultura

Camões aLive – live poética

Camões aLive é o mais recente trabalho de Roberto Souza e Isabella Castro, uma Live Poética com a obra do poeta português Luís de Camões. Em regime de quarentena, a dupla transmitirá no dia 23 de agosto (domingo) um espetáculo com poesias de Camões numa live stream em seu próprio apartamento no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro.

Se valendo de sua criatividade cênica, os dois criam uma atmosfera visual, sonora, teatral e poética, fazendo de Camões aLive uma experiência estética completa por internet, integrando texto, som, imagem e interatividade. A live poética será transmitida em tempo real às 17h (Brasília) | 21h (Lisboa) pelo site www.camoesalive.com e também pelo YouTube https://youtu.be/7c60qnhNdtE. Os internautas podem se inscrever antecipadamente nas páginas para receberem o lembrete do evento virtual.

Da extensa obra do poeta português, destacam-se em Camões aLive alguns trechos do épico mundialmente famoso Os Lusíadas e alguns de seus sonetos de amor mais cativantes como Amor é fogo que arde sem se ver. Declamados pelo ator Roberto Souza e com direção de arte da iluminadora e cenógrafa Isabella Castro, eles transportam o lirismo de Camões para um patamar cênico, ampliando o sentido (brilhante) de sua poética com muita teatralidade. A trilha sonora original é do compositor Flavio Abbes, que cria verdadeiras paisagens sonoras que dão um toque final à encenação.

A ideia de trabalhar com a obra de Camões surgiu de forma espontânea. Além de Roberto ser admirador da escrita do poeta português, alguns poemas do “dante lusitano” estiveram presentes em última empreitada do casal, o projeto de arte integrada “Espaço público não é privada”, que ficou em cartaz no Espaço Cultural Sergio Porto (Rio de Janeiro/RJ) em agosto de 2019 com uma exposição de artes visuais e uma peça teatral.

“Perdi meu pai em maio, durante a quarentena, e foi ele que me apresentou à obra de Camões. Ele estava internado quando tivemos a notícia de que havíamos sido contemplados pelo edital e cheguei a ler Os Lusíadas para ele no hospital. Camões aLive acabou sendo também uma homenagem a meu pai”, conta Roberto Souza.

aLive
A transmissão de Camões aLive se divide em duas partes. A primeira é a encenação dos poemas, como em uma apresentação teatral tradicional, com duração de aproximadamente 30 minutos. Em seguida, os artistas seguem em um bate-papo com os internautas sobre o processo de criação, com a possibilidade de apresentarem um bis com os poemas favoritos da plateia virtual.

A encenação apresenta três facetas de Camões e a primeira é a heróica, com recortes do épico Os Lusíadas. Inspirada em retratos e até mesmo em esculturas de Luís de Camões e de Vasco da Gama, Isabella Castro, que também assina a direção de arte e iluminação, criou uma releitura de uma indumentária do Século XVI para a figura de um navegante.

O segundo momento, lírico, traz a ideia do amor barroco, de luz e sombra, que é ao mesmo tempo é sublime e carnal, e desconstrói a imagem do herói anterior, revelando uma figura mais humana. O terceiro, também lírico, traz um caráter biográfico de Camões com a dor da morte de sua amada Dinamene no mesmo naufrágio em que o escritor por pouco não perde os manuscritos de Os Lusíadas.

“Entre as referências da direção de arte está o teatro imagem de Bob Wilson. A cenografia trabalha o fundo em cores em contraste com a silhueta do ator e o desenho que isso cria, remetendo ao retrato na pintura”, explica Isabella Castro.

Apesar de terem ganhado um edital em tempos de pandemia, Roberto e Isabella fugiram da ideia de aproveitar a atmosfera de casa para o espetáculo. O casal, que trabalha junto e namora há dois anos, criou um ambiente próprio para Camões aLive em um cantinho do quarto. Assim como no teatro, a ideia foi criar um ambiente cênico. A dupla ganhou espaço arrastando a cama para perto do guarda-roupa para que cenário, luz, figurino e câmera coubessem nesse estúdio poético e de fantasia.

Pandemia
Em um contexto de pandemia da Covid-19, restou à dupla a possibilidade de explorar seu trabalho criativo em novas plataformas, agora em vias digitais – vale lembrar que as contribuições de Flavio Abbes (Trilha Sonora) e Catharina Rocha (Assessoria de Imprensa) também se deram remotamente. Mas tratando-se de Roberto Souza e Isabella Castro, isso não parece ser um grande complicador, pois a integração entre diferentes suportes artísticos sempre foi uma característica constante em seus trabalhos.

Contemplado pelo Edital Cultura Presente nas Redes da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, de caráter emergencial para o fomento de produções culturais em tempos de pandemia, o projeto encontra seus recursos para sua realização. E mesmo em estado de emergência, sob isolamento social e com todas as contingências de uma quarentena, Camões aLive surge na internet como mais um espaço de respiro, beleza, sensibilidade e afeto, conferindo à arte o status de necessidade essencial, sendo uma atividade fundamental para que possamos manter uma mente saudável e uma vida social solidária.

Sinopse:
Camões aLive é uma “Live Poética” com a obra do poeta português Luís de Camões. Declamados pelo ator Roberto Souza e com direção de arte da iluminadora e cenógrafa Isabella Castro, a dupla transporta o lirismo de Camões para um patamar cênico, ampliando o sentido (brilhante) de sua poética com muita teatralidade. Em quarentena, o casal transmite pela internet poemas de Camões – como os sonetos de amor e trechos de “Os Lusíadas” – e se mantém conectado para interagir com os internautas.

Ficha técnica:
Poesia: Luís de Camões
Atuação e texto de apoio: Roberto Souza
Direção de arte e Identidade visual: Isabella Castro
Trilha Sonora: Flavio Abbes
Assessoria de imprensa: Catharina Rocha – Máquina de Escrever Comunicação
Realização, idealização e produção: Roberto Souza e Isabella Castro
Contemplado pelo Edital Cultura Presente nas Redes da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro.

Serviço:
Data: 23/08/2020 (domingo)
Horário: 17h (Brasília) | 21h (Lisboa)
Canal: www.camoesalive.com | https://youtu.be/7c60qnhNdtE
Entrada: gratuita. Classificação indicativa: Livre. Duração: 50 min.

Categorias
Fica a Dica

Caetano Veloso anuncia live no dia de seu aniversário

Caetano Veloso fará uma live que certamente vem como um presente para os seus fãs, ainda que vá acontecer no aniversário do lendário músico brasileiro.

O anúncio veio por meio do programa Sinta-se em Casa, uma ideia de quarentena do humorista Marcelo Adnet, e aconteceu na 78ª edição deste. Ele avisou que Caetano irá comemorar seu aniversário de 78 anos com a transmissão ao vivo, que acontecerá na sua data de nascimento: 07/08!

Adnet ainda agradeceu a esposa do músico, Paula Lavigne, pela insistência para que ele realizasse a apresentação para amenizar esse período tão difícil para tantos brasileiros.

Quando?

Sexta (07/08), quando completa 78 anos de idade. A apresentação será transmitida no Globoplay, às 21h30.

 

Categorias
Cultura Destaque

Projeto Sambabook Lives recebe Jorge Aragão

A celebração está no gene da criação do Sambabook, projeto que nasceu para reverenciar e colocar o samba e seus criadores em lugar de excelência, sob o ponto de vista artístico, musical e educativo. Para dar início às comemorações pelos 10 anos do projeto, em 2021, a Musickeria preparou um aquecimento especialíssimo: no próximo dia 31 de julho, Jorge Aragão comanda uma live dentro do projeto Sambabook Live, que será transmitida pelo canal oficial do Sambabook no YouTube, com patrocínio da Cerveja Original e Telhanorte.

Categorias
Saúde

Semana da Pediatria: Médicos debatem universo infantil

A pediatra Flavia Schaidhauer criou a ‘Semana da Pediatria: Pediatra fora da caixa’ que acontecerá entre os dias 27/07 e 02/08. Uma série de lives tendo como convidados médicos do país inteiro para falar sobre temas do universo infantil. A responsável pelo perfil @pediatraforadacaixa e CEO do App Meu Dr. kids (aplicativo de atendimento pediátrico domiciliar) terá como missão conversar sobre temas atuais e dúvidas recorrentes dos pais. Os temas são: alimentação nos 1.000 dias, humanização do nascimento em tempos de Covid-19, o papel dos profissionais pró amamentação, criação neurocompatível, desafios da amamentação, saberes do bebê e a indústria do desmame serão discutidos ao longo dos sete dias de evento online. Entre os convidados temos o Dr. Moises Chencinski ( @doutormoises), pediatra, membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo e criador e incentivador do movimento Eu Apoio o Leite Materno ( @euapoioleitematerno), a pediatra, oncologista pediátrica e ativista pela amamentação e desmedicalização da infância Amanda Ibagy ( @amandaibagypediatria) e a psicóloga Márcia Tosin ( @criacao_neurocompativel) que foi indicada ao Prêmio Internacional BID Paris, França em 2017. As lives ‘Semana da Pediatria: Pediatra fora da caixa’ serão transmitidos exclusivamente no perfil @pediatraforadacaixa no instagram e posteriormente o conteúdo será publicado no Youtube.

Agenda de Lives

27/07 – Indústria do desmame – Amanda Ibagy | 21h 27/07 – Saberes do bebê – Erika Parlato-Oliveira
28/07 – Criação neurocompativel – respeito ao desenvolvimento da criança -Márcia Tosin | 10h30
29/07- Humanização do Nascimento em tempos de COVID – Karol Soares | 20h
30/07- Importância dos profissionais pró amamentação – Andreia Prazo | 10h30
31/07- Alimentação nos 1000 dias – Carol Bandeira | 10h30
01/08- Desafios da amamentação – Dr. Moises| 16h30