Categorias
Meio Ambiente Política Rio

Deputado estadual e secretário discutem soluções para Meio Ambiente no RJ

Gustavo Schmidt e Thiago Pampolha trataram de pautas em comum entre Legislativo e Executivo
O presidente da Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj, deputado Gustavo Schmidt, encontrou-se nesta segunda-feira (8/2) com o secretário de Estado do Ambiente, Thiago Pampolha, para discutir assuntos em comum, que envolvem tanto as ações do Executivo, quanto trabalhos realizados pelo Legislativo em relação à questão ambiental.

Entre os temas discutidos estão a atual situação da Baía de Guanabara e as lagoas de Itaipu e Piratininga, em Niterói, além do sistema lagunar da Barra, no Rio. A situação da Cedae, envolvendo os recentes problemas de qualidade da água e a questão do saneamento básico na Região Metropolitana e Baixada também foi abordada na reunião.

De acordo com Gustavo Schmidt, a Alerj e o Poder Executivo vivem um momento de união e bom relacionamento que podem ser positivos para a resolução de problemas históricos, incluindo questões ambientais. Comenta Gustavo Schmidt.
Vivemos um momento poucas vezes visto em nosso Estado. Temos, na Alerj, uma quase unanimidade em relação à condução da Casa pelo nosso presidente, André Ceciliano, que acaba de ser reeleito e tem demonstrado uma enorme determinação em dialogar com o governador para auxiliar na solução de questões fundamentais para a população. Por outro lado, o Executivo também demonstra estar de portas abertas para a Assembleia. Precisamos aproveitar essa oportunidade e colocar as coisas em ordem.

O encontro entre Schmidt e Pampolha aconteceu na sede da Secretaria de Estado do Ambiente, no bairro da Saúde, no Rio.
Categorias
Rio TV & Famosos

Martha Rocha, primeira Miss Brasil, morre em Niterói

A primeira Miss Brasil, Martha Rocha, morreu na tarde deste sábado (4), em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. Aos 83 anos, com a saúde já debilitada, a baiana teve insuficiência respiratória, seguida de infarto. A ex-modelo deixa três filhos.

O corpo foi enterrado no Cemitério do Santíssimo Sacramento, neste domingo (5). Eleita Miss Brasil aos 18 anos, em 1954, Martha Rocha marcou a história do concurso e ficou em segundo lugar no Miss Universo, no mesmo ano.

Quando ela chegou aos Estados Unidos para competir pela coroa de Miss Universo, as pesquisas já a consideravam eleita, mas ela acabou ficando em segundo lugar, atrás da americana Miriam Stevenson. O motivo, dizem, seria que a brasileira tinha duas polegadas a mais nos quadris.

Problemas financeiros

Nascida em Salvador, Martha estava há mais de um ano em uma pousada para idosos, em Niterói, por dificuldades financeiras. Ela contou o caso no Facebook, em março de 2019, e disse não se sentir “diminuída, humilhada por isso”. Antes, viveu em um lar de idosos em Volta Redonda, no Sul Fluminense.

Os problemas financeiros começaram anos atrás. Em 1995, Martha sofreu um golpe do cunhado, Jorge Piano, que fugiu com todo o dinheiro dela. A ex-modelo superou as perdas com a ajuda de filhos e amigos. À época, passou a vender quadros que ela mesma pintava e a cobrar cachê para divulgar o Miss Brasil.

Categorias
Rio

Uso de máscara será obrigatório por três meses em Niterói

A Câmara de Vereadores de Niterói aprovou o uso obrigatório de máscaras na cidade durante os próximos três meses. A mensagem executiva 26/2020 foi votada nesta quarta-feira (20) e aprovada em segunda discussão, com 12 votos favoráveis.

O uso de máscaras nas ruas já era recomendado através de um decreto, no entanto, não era passível de multa até então. A partir desta quinta-feira (21), quando começa a abertura gradual do comércio, quem não estiver usando máscara será multado em R$ 180. Essa penalidade, portanto, valerá pelos próximos três meses.

A multa será aplicada por agentes da Guarda Municipal, que estão com a responsabilidade de fiscalizar o uso do equipamento de proteção pelos niteroienses.

Categorias
Rio

Prefeito de Niterói sugere mudar o Dia das Mães para evitar aglomerações

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, pretende mudar a data do Dia das Mães deste ano na cidade, comemorada no próximo domingo (12), por conta da pandemia. De acordo com o chefe do Executivo, a ideia é que a comemoração em Niterói seja transferida para o segundo domingo de julho, ou seja, dois meses depois da data oficial. O anúncio foi feito na noite desta terça-feira (5), em transmissão ao vivo pelas redes sociais.

A sugestão será enviada pelo Executivo nesta quarta-feira (6) para ser analisada na Câmara de Vereadores de Niterói.

Neves ainda reforçou o pedido para que as famílias não se reúnam presencialmente no próximo domingo, mas que façam encontros virtuais para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

“Vamos fazer uma grande campanha de divulgação para que a gente tenha o Dia das Mães de Niterói. Peço para não encontrarem presencialmente suas mães e avós, porque o risco é muito grande”, declarou o prefeito.

Nesta terça, o Sindicato do Comércio Lojista de Niterói (Sindilojas) emitiu uma nota classificando como gravíssima a situação que o comércio niteroiense enfrenta. De acordo o presidente do Sindilojas, Charbel Tauil, vários segmentos não tiveram nenhum faturamento nesse período de quarentena, com exceção daqueles que puderam funcionar durante as “janelas” instituídas pela Prefeitura de Niterói.

“Agora, estamos chegando ao Dia das Mães, segunda data mais importante de vendas, ficando atrás apenas do Natal, sem termos um horizonte de vendas, uma vez que a prefeitura estendeu o isolamento social. Quanto ao delivery, ele vem funcionando bem para restaurantes e farmácias e alguns segmentos muito específicos, mas não é uma solução de uso geral: o consumidor quer ver, tocar, experimentar e comparar fisicamente as mercadorias, para ter a certeza de que está escolhendo bem o que vai comprar. A verdade é que o lojista médio que tem delivery sequer está conseguindo pagar seus custos fixos”, posicionou-se Charbel.

Categorias
Rio

RJ: rede pública no estado pode ter déficit de 25 mil vagas nos hospitais

Por Sandro Barros

Diante do aumento do número de pessoas contaminadas pela covid-19, o governo estadual do Rio de Janeiro fez uma projeção assustadora para as duas primeiras semanas de maio: haverá a necessidade de 21 mil leitos de enfermaria e sete mil de UTI. No entanto, a rede pública espera ter ao todo, entre enfermarias e UTIs, 3,4 mil leitos. Isso pode gerar um déficit de 25 mil vagas nos hospitais.

No final de abril a fila por uma vaga somava mais de 300 pessoas. O Rio é o segundo estado com mais casos da doença, atrás apenas de São Paulo.

Com essa nova projeção, o governador Wilson Witzel (PSC) estendeu a quarentena no estado até 11 de maio. Na capital, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) estendeu o isolamento social para 15 de maio. As decisões foram publicadas em Diário Oficial no dia 30 de abril. Na vizinha Niterói, o isolamento foi prorrogado para o dia 20.

Categorias
Rio

Niterói: uso de máscaras será obrigatório a partir de 23 de abril

A Prefeitura de Niterói comunicou, por meio de seu perfil oficial nas redes sociais, que o uso de máscaras será obrigatório a partir da próxima quinta-feira (23) no município da Região Metropolitana do Rio. Segundo o comunicado, a medida comprovadamente diminui risco de contágio do novo coronavírus (Covid-19).

“Para evitar o rápido avanço da epidemia em nossa cidade, será obrigatório, a partir de quinta-feira (23), o uso de máscaras. Sua utilização comprovadamente diminui risco de contágio por coronavírus por aumentarmos o número de barreiras de proteção”, diz trecho da nota divulgada.

O Executivo niteroiense também relembra que está entregando um milhão de máscaras por toda a cidade, o que resultaria, aproximadamente, em duas máscaras por cada habitante. Também é estimulada a produção própria do equipamento.

“Até o dia 23, vamos fazer um trabalho educativo com a população. Mais importante ainda que a utilização de máscaras, fique em casa. A medida mais eficaz é o isolamento social. É assim que vamos salvar muitas vidas. Faça a sua parte”, apela a postagem da Prefeitura.

Categorias
Rio

Ruas bloqueadas no primeiro dia de restrições de acesso a Niterói

Começou a valer, a partir deste sábado (4), o bloqueio nas divisas de Niterói com outros municípios para táxis dessas cidades, além da redução da frota de ônibus intermunicipais para 30% de sua operação normal. Passageiros puderam notar a queda ainda mais acentuada no movimento do Terminal João Goulart, no Centro, além de ruas bloqueadas ou com pontos de controle. O Decreto Municipal visa diminuir a circulação de pessoas entre as cidades, sendo uma forma de prevenção ao coronavírus.

São 28 pontos de controle de acesso, sendo sete deles com a presença de agentes de trânsito e forças de segurança, espalhados por todos os limites do município, com as cidades de Maricá e São Gonçalo, e nas descidas da Ponte Rio-Niterói. O motorista encontra pequenas retenções na chegada aos bloqueios. Ao todo, 200 agentes trabalham na ação.

O secretário Municipal de Mobilidade e Urbanismo, Renato Barandier, acompanhou de perto o primeiro dia de operação. Segundo ele, a medida visa reduzir o tráfego intermunicipal, que não vinha no mesmo ritmo da movimentação dentro da cidade de Niterói, além de estabelecer controle nos acessos ao Município.

“A Prefeitura tem criado medidas de restrição e isolamento social há um mês e a resposta da população tem sido muito positiva. Como resultado disso, tivemos uma redução de 80% no movimento de carros na cidade. Os pontos de entrada da cidade estavam sem nenhum tipo de controle, por conta disso os movimentos intermunicipais não foram reduzidos na mesma proporção. Estamos com sete pontos de controle onde a partir de hoje vamos fiscalizar os táxis de outras cidades e reduzimos a 30% a quantidade de ônibus intermunicipais, assim como as vans. Isso tudo é para trazer a redução dos movimentos intermunicipais, que estão num patamar de 60%, para um nível mais próximo de Niterói”, disse o secretário.

Ainda de acordo com Barandier, em outros municípios há movimentações para além de serviços essenciais próximo às divisas. Para ele, os bloqueios também servem como uma forma de conscientizar não apenas os niteroienses, mas habitantes de outras cidades a ficarem em suas casas.

Inicialmente, a restrição seria de forma geral, conforme anunciado na quarta-feira (1º), com restrição também para a circulação de pessoas e carros de passeio, salvo aqueles que trabalham em serviços considerados essenciais. No entanto, no dia seguinte, a Prefeitura reviu a decisão.

Pontos de bloqueio

Na Região Central, seis pontos foram montados, sendo dois deles com checagem de guardas municipais e quatro com bloqueio total. Há um ponto de checagem na Avenida Feliciano Sodré, altura da Praça Renascença, e na alça de descida da Ponte Rio-Niterói para a Alameda São Boaventura. A saída da Ponte para a Av. Jansen de Melo ficará fechada.

A Região Oceânica tem um ponto de bloqueio na Avenida Central, enquanto a Estrada de Itaipuaçu (Serra) ficará fechada. Em Pendotiba, sete pontos de bloqueio, sendo seis deles permanentes. Veículos poderão passar apenas pela Estrada Caetano Monteiro.

Na Rodovia RJ-104, uma das principais ligações com São Gonçalo, há um posto de controle na altura de Santa Bárbara. Outros 12 pontos foram montados na Zona Norte: segundo a Prefeitura, a passagem de veículos só será permitida, de forma controlada, no viaduto do Barreto e Dr. March. As ruas Dr. Câmara Coutinho, João Batista, Sá Pinto e Travessa Loureiro Cintra serão bloqueadas. Os dois acessos de Venda da Cruz, a Rua da Cruz e as Ruas Capitão Geraldo de Oliveira, Cel. Amarantes e Major Goudin ficarão fechadas.

Mudanças no Trânsito

Para evitar que moradores da Ilha da Conceição tenham que passar pelos pontos de bloqueio, a Rua Benjamin Constant passa a ter mão dupla entre o viaduto do Santana e o Ponto Cem Réis e a pista da Feliciano Sodré foi invertida no sentido Alameda também no Ponto Cem Réis.

No bloqueio da Praça Renascença, apenas vans, ônibus e veículos oficiais são autorizados a seguir pela Feliciano Sodré. Carros de passeio são orientados a desviar pela Jansen de Melo, inclusive moradores de bairros da região, como a Ponta d’Areia.

Coletivos com destino à Alameda seguirão pelas ruas Marechal Deodoro e São Sebastião. Os ônibus com destino à Av. do Contorno (BR-101), passarão pela Rua Marechal Deodoro e Av. Jansen de Melo.

Com informações de O Fluminense / Fotos: Reproduções

 

Categorias
Rio

Niterói anuncia novas medidas para o combate ao coronavírus

A Prefeitura de Niterói vai restringir o acesso de residentes das cidades vizinhas do Rio de Janeiro, São Gonçalo e Maricá. Será permitida apenas a circulação de trabalhadores de serviços essenciais que estão em funcionamento na cidade como profissionais de saúde, farmácias, supermercados, petshops e outros que estão na lista dos serviços liberados. A comprovação do vínculo será feita com crachás, contracheques ou declaração do empregador. A medida começa a valer a partir desse sábado (4) e perdura até o dia 18 de abril.

Serão montados 28 pontos de bloqueio, 21 físicos e mais sete com agentes de segurança de Niterói. O transporte público também terá redução e só 25% da frota está autorizada a circular. Os caminhões e transportes de carga não sofrerão restrições para fazer entregas.

De acordo com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, a medida é essencial para manter o isolamento social.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado em 31 de março, Niterói tem 62 casos confirmados, 16 hospitalizados, sendo 9 em Unidades de Terapia Intensiva, 22 em isolamento domiciliar sendo monitorados pela Secretaria de Saúde do Município. A cidade registra um único morto e tem 23 recuperados.

“Serão duas semanas críticas de propagação do coronavírus. Precisamos diminuir a entrada de pessoas na cidade já que Niterói é a segunda cidade do Brasil com maior circulação diária com aproximadamente 250 mil pessoas que não residem aqui, mas trabalham ou estudam no município. O objetivo é manter a curva de expansão do vírus achatada”, explica o prefeito.

Construção de hospital em São Gonçalo

Outra importante medida a ser implementada no combate à Covid-19 é o Projeto de Lei que será encaminhado nessa quinta-feira (2) à Câmara de Vereadores para ser votado que define o aporte financeiro de recursos da cidade para a implementação de um hospital em São Gonçalo.

“Vamos fazer um aporte de recursos no Fundo Estadual de Saúde para implantar um hospital de campanha com 200 leitos na cidade vizinha que conta com poucos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e baixa capacidade de investimento. O Governo de Estado entra com uma parte e nós com outra. Vamos prestar auxílio à cidade vizinha e evitar a sobrecarga dos hospitais públicos de Niterói”, ressalta Rodrigo Neves.

O prefeito destaca, ainda, que a cidade continua dando prosseguimento às outras ações como sanitização pelas comunidades da cidade e ruas de grande fluxo, entrega dos kits de higiene para famílias atendidas pelo médico de família (nesta quinta-feira (2) será a vez dos moradores do Morro do Estado, sexta (3) será na Engenhoca e segunda (6) em Nova Brasília) e a vacinação de idosos que já cumpriu 70% da meta e está suspensa até a próxima segunda (6) quando o Ministério da Saúde deve enviar nova remessa para que a Secretaria de Estado de Saúde repasse ao município. Nesse período, as pessoas que têm idosos acamados ou com dificuldades de locomoção podem enviar e-mail para [email protected] e solicitar a vacinação em domicílio.

Além disso, o Hospital Oceânico, referência no tratamento do Coronavírus, está sendo estruturado e ficará pronto no dia 10 de abril. A Prefeitura também já ampliou a oferta de leitos nas unidades de urgência da rede pública e adquiriu novas ambulâncias com UTI para dar cobertura à toda a cidade.

“Vamos manter o isolamento social até o dia 10 de abril para atravessarmos mais rápido essa pandemia e podermos retomar às nossas atividades. Nessa data, faremos uma reavaliação do ciclo epidêmico na cidade. Quero lembrar também que a janela aberta para serviços de mecânica e lojas de materiais de construção encerram nessa sexta-feira (3) e seguiremos apenas com os serviços essenciais abertos. Também peço que a população persevere no isolamento para mantermos a transmissão de forma mais lenta”, disse o prefeito de Niterói.

Com informações de O Fluminense

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Niterói acaba de ganhar uma casa aconchegante e comida com afeto

Foto: Dueto Fotografia

O Jardim Icaraí é considerado um bairro de referência na gastronomia da cidade de Niterói. E agora acaba de ganhar um restaurante inusitado, ou melhor, uma casa aconchegante, de ambiente familiar, para receber um vizinho, amigos e fazer parte da família. Trata-se da Casa Di Lucy – um lugar que remete a nossa memória afetiva, uma viagem pelo tempo. Alberto, Patricia e Paulo Sauerbronn são sócios e idealizadores da casa, que leva o nome da mãe de Alberto e em seu cardápio toda família tem seu espacinho e homenagem.

 

Em todo o seu ambiente, a casa é decorada com varal de roupas penduradas, igualzinho um quintal de casa de avó. São modelos variados, desde peças íntimas até camisas, saias, bermudas. Além das samambaias presas no teto e vasos com espada de são jorge. “Em certo momento, temos a impressão que Lucy vai aparecer para recolher a roupa do varal”, diz Patricia Sauerbronn, umas das sócias e idealizadora da casa que leva o nome da tia de seu marido, Paulo.

Frango Danado (Foto: Fabiane Borges)

No cardápio, sob a batuta do Chef Tucu, de nacionalidade argentina, entradas criativas, doces artesanais e pizzas com sabores variados. Cada uma leva o nome de uma tia da família e de mães dos seus amigos, mulheres que fizeram história em sua trajetória afetiva.

E assim como todo o cuidado de mãe, todas as pizzas são feitas com fermentação natural, as melhores farinhas italianas e bem acompanhadas por um mimo: uma porção extra do divino molho de tomate da casa para convidar você a mergulhar sua bordinha ao fim do prato.

Se é que sobrará bordinha pra isto. Com tamanho único de 27 cm, os valores das redondas variam entre R$29,00 a R$47,00. Na foto, a pizza Lélia, em homenagem a irmã de Lucy, uma versão da casa da Marguerita com mozarela de búfala, tomate confit, alho, azeite e manjericão fresco. (R$37,00). 

 

De entrada, algumas opções como Coalho Danado, preparado com cubos de queijo coalho grelhado acompanhados do mesmo molho oriental, agridoce e picante, flambado na cachaça e perfumado com limão e coentro. (R$19,00); Frango a passarinho danado, que são tulipas de frango grelhadas no molho oriental agridoce e picante, flambadas na cachaça e perfumadas com limão e coentro. (R$23,00).

Além do chef Tucu, quem também faz parte do time da Casa di Lucy é a padeira e pizzaiola Beatriz Tavares, que é uma apaixonada pela fermentação natural. Às terças e sextas-feiras tem produção de fornadas extras de Sourdough e Focaccia, para que alguns ‘aLucynados’ sortudos possam levar estas delícias para comer em casa.

 

A Casa Di Lucy é um passeio pela infância. As paredes são coberturas por porta-retratos com fotos de família e o cliente é encorajado a levar seu registro para fazer parte do mural e se sentir ainda mais em casa. Uma série de frases típicas de mãe também tem destaque na decoração e são expostas em pequenos quadros: “Só levanta quando terminar”, “Vou contar até 3! 1…”, “Tudo EU nessa casa!”, “Eu avisei”, “Eu não sou mãe de todo mundo”, “um dia você vai me agradecer”, “Não faz mais que sua obrigação”, Me respeita, que eu sou sua mãe”, “Tira esse pé sujo e cima do meu sofá!”, “Pede pro seu pai”, Porque não! Já falei!”, “Deixa a mãe dar um beijo que sara.”, “Quem é o amor da vida da mãe?”. Essas são algumas das frases que são impossíveis não lembrarmos de nossas mães, um verdadeiro cantinho de nostalgia.

Serviço:

Rua Nóbrega 156, Icaraí – Niterói

Cel: (21) 99189-6642

Abre todos os dias, das 18h às 24h

66 lugares