Categorias
Destaque Política Rio

Entenda o processo de impeachment de Wilson Witzel

 

DEPOIMENTOS DE TESTEMUNHAS – 17/12

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e do Tribunal Especial Misto (TEM), desembargador Claudio de Mello Tavares, e o colegiado do TEM – formado por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais – ouvem, em sessão marcada para às 9h de amanhã, quinta-feira (17/12), as 27 testemunhas de acusação e defesa que tiveram seus nomes aprovados para depor no processo de impeachment do governador afastado Wilson Witzel.

Os nomes das 27 testemunhas foram aprovados em sessão realizada no dia 4/12, quando o colegiado foi favorável à produção de provas testemunhais e documentais suplementares no processo. As perícias contábeis e de engenharia foram rejeitadas pela maioria.

TESTEMUNHAS ARROLADAS PELA ACUSAÇÃO

Luiz Roberto Martins Soares;
Lucas Tristão do Carmo;
Everaldo Dias Pereira (Pastor Everaldo);
Victor Hugo Amaral Cavalcante Barroso;
Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos ;
Ramon de Paula Neves;
Roberto Bertholdo.

TESTEMUNHAS ARROLADAS PELA DEFESA

Edmar Santos;
Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos;
Claudio Alves França;
Carlos Alberto Chaves;
Mario Peixoto;
Roberto Bertholdo;
Luis Augusto Damasceno Melo;
Hormindo Bicudo Neto;
Sergio D’Abreu Gama;
Felipe de Melo Fonte;
Luiz Roberto Martins;
Marcus Velhote de Oliveira;
Luiz Octávio Martins Mendonça;

TESTEMUNHAS DO JUÍZO

Deputado Waldeck Carneiro – VOTO

Nelson Roberto Bornier de Oliveira
Mario Pereira Marques Neto
Edson da Silva Torres
Gustavo Borges da Silva
Carlos Frederico Verçosa Duboc
Maria Ozana Gomes
Mariana Tomasi Scardua
Bruno José da Costa Kopke Ribeiro

Deputado Alexandre Freitas

Helena Witzel
Alessandro de Araújo Duarte.

PROCEDIMENTOS

 Após a audição das testemunhas, a acusação e a defesa fazem as alegações finais. Logo após, o relator do processo, deputado estadual Waldeck Carneiro se manifesta e dá seu voto. Os integrantes do Tribunal Especial Misto podem acompanhar ou não o voto do relator.

INTERROGATÓRIO DE WILSON WITZEL – 18/12

Na sexta-feira, dia 18/12, o desembargador Claudio de Mello Tavares e o colegiado do TEM voltam a se reunir, em nova sessão, às 16h, para interrogatório de Wilson Witzel, oportunidade em que o réu, que responde por crime de responsabilidade em processo que pode resultar no seu impeachment do cargo, poderá exercer sua autodefesa.

As duas sessões acontecerão no Tribunal Pleno do TJRJ, no 10º andar do Fórum Central, com acesso pelo Beco da Música, no Centro do Rio.

Categorias
Destaque Rio

Um prefeito para restaurar o Rio

Eduardo Paes e Marcelo Crivella disputam a chance de mudar a triste realidade da Cidade (ainda) Maravilhosa

Por Claudia Mastrange

É hora de decidir. No segundo turno das eleições 2020, Marcelo Crivella e Eduardo Paes disputam a prefeitura do Rio de Janeiro. Um é o atual prefeito e tenta a reeleição. O outro, já governou a cidade por dois mandatos.  É hora de colocar na balança o que cada um fez em seu governo  e as propostas viáveis  que têm para os próximos quatro anos. Afinal eles estarão à frente da cidade que é a maior vitrine do Brasil para o mundo.

Conhecido como a Cidade Maravilhosa, há tempos o Rio está longe desse titulo no cotidiano dos cariocas. São anos de corrupção em várias instâncias, saúde em constante agonia, com unidades de saúde sucateadas e má gestão; educação nota zero; transportes públicos lotados e em péssimas condições para o usuário; população de rua em níveis crescente; comércio fechando as portas… A lista não tem fim!

Diante de tudo isso, vemos os dois candidatos trocando farpas nesta reta final de campanha.  Crivella acusa  Paes de ser o candidato da corrupção, inclusive por suas antigas relações com Sério Cabral,  e que lhe deixou R$15 milhões a menos nos cofres púbicos para governar. Eduardo Paes rebate que suas contas foram aprovadas e que Crivella, o “pai da mentira”, não teve competência para colocar a administração e os serviços da cidade nos trilhos.

A questão é que a população não quer saber de bate-boca, acusações,  baixarias de campanhas e promessas vãs.  O momento é sério e o povo quer propostas urgentes para o caos estabelecido no Rio de Janeiro. Ninguém agüenta mais tantas mazelas e descaso com o dinheiro, os serviços, o patrimônio público maior, que é a nossa cidade.

Então, que possamos avaliar a plataforma de cada um deles e decidir quem, a despeito de todas as falhas que ambos cometeram em suas administrações, merece uma nova chance. Vamos anotar, abrir bem os olhos, escolher conscientemente e depois cobrar  um trabalho comprometido e sério do novo prefeito.  O Rio merece um gestor à sua altura.

PROPOSTAS DE GOVERNO

Eduardo Paes (Democratas)

Foto: Divulgação/Campanha

Tem se declarado radicalmente contra a corrupção, embora no momento ele mesmo esteja sendo investigado. O ex-prefeito do Rio (entre 2009 e 2017) planeja criar uma secretaria de integridade pública, para poder fazer o monitoramento e acompanhamento e controle de todas as ações governamentais e dos agentes públicos.

No transporte, pretende reativar linhas de ônibus que foram tiradas de circulação e, em 100 dias recuperar o BRT, colocando a Guarda Municipal para monitorar o funcionamento, além de criar o BRT Rosa e finalizar até 2022 o BRT Transbrasil, que ligará Deodoro ao Centro do Rio.  E criar um bilhete único integrado para todos os modais, com duração de 3 horas para cada viagem.

Na saúde, pretende contratar mil médicos e 5 mil funcionários, já em seu primeiro ano de mandato, além de investir  na recuperação de Clínicas de Família e Upas  e diminuir o tempo de espera na fila do Sisreg.

Na Educação, quer diminuir a disparidade entre ensino púbico e privado e promete contratar  3 mil professores até 2022, além de expandir a oferta de ensino em tempo integral e número de vagas em creches  e pré-escolas.

Pretende aumentar os níveis de segurança, inclusive nos pontos turísticos  para atrair grandes eventos e possibilitar mais frentes de trabalho e geração de renda,, inclusive com a revitalização do Centro o Rio.

O candidato também propõe a criação de um grupo de elite da Guarda Municipal para reduzir em 20%, até o final de 2023, os crimes em áreas de grande atividade comercial e elevado fluxo de pessoas. Esse grupo usaria armas de fogo.

PERFIL DO CANDIDATO

Eduardo Paes, 50 anos, é Bacharel em direito e ingressou na política como subprefeito da Barra e Jacarepaguá, aos 23 anos, no governo César Maia. Em 1996 foi eleito vereador pelo Partido da Frente Liberal e em1998 foi eleito deputado federal.Três anos depois, ele foi nomeado secretário do Meio Ambiente da cidade do Rio de Janeiro, durante a gestão de Cesar Maia e em 2002 foi reeleito deputado federal. Concorreu ao governo do Rio de Janeiro em 2006, mas perdeu a eleição. Dois anos depois, em 2008, venceu a disputa para a Prefeitura do Rio e, em 2012, foi reeleito no primeiro turno com 64% dos votos.

– Patrimônio declarado: R$478.358,42

Marcelo Crivella (Republicanos)

Foto: Antônio Cruz – Agência Brasil

Seu plano de governo prevê a  criação de 100 mil novos empregos diretos com um programa de capacitação de jovens e idosos e investimentos em obras de infraestrutura, mediante convênios com o Governo Federal. Obras de saneamento básico e a despoluição de lagoas e rios são prioridades, assim como a  criação do Banco Carioca de Fomento, para oferecer microcrédito a pequenos empreendedores.

Na Saúde pretende aumentar em 50% o número de leitos e UTIs e propõe a criação do programa Saúde Digital, que vai implementar prontuários eletrônicos. Os usuários do sistema municipal de saúde terão acesso a uma plataforma virtual de atendimento. Quer firmar parcerias com o setor privado para que pacientes da rede municipal sejam atendidos em clínicas particulares com pagamento pela tabela do SUS.

Também vai investir na Escola Digital, com mais recursos tecnológicos e a distribuição de notebooks com acesso à internet para todos os alunos e professores ainda no primeiro ano de mandato. A ideia é viabilizar ensino em tempo integral ‘híbrido’, com metade do tempo presencial e o restante remoto e online.

Crivella, como Paes, também aposta na Guarda Municipal para melhorar a segurança no Rio pretende melhorar o treinamento dos guardas, que deverão usar armas letais. Pretende também aumentar o efetivo com egressos das Forças Armadas para trabalharem de forma temporária.

No transporte, planeja direcionar R%$ 150 milhões de valores de impostos recolhidos de grande empresas para a recuperação do BRT. O plano de governo de Crivella dá atenção também ao uso de bicicletas como modal de transporte. A ideia é elaborar um Plano Diretor Cicloviário.

PERFIL DO CANDIDATO

Marcello Crivella é carioca e tem 62 anos. Bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), é cantor gospel e engenheiro civil.

Foi eleito em 2002 para o senado federal pela primeira vez, pelo antigo PL, atual PR. Foi reeleito em 2010, já pelo PRB, partido que ajudou a fundar. Entre 2012 e 2014 foi ministro da Pesca e Aquicultura no Governo Dilma.

Crivella voltou ao Senado e se licenciou do cargo para concorrer à prefeitura pela terceira vez, após duas derrotas, em 2004 e 2008. Venceu a eleição em 2016, no segundo turno, em disputa com Marcelo Freixo.

– Patrimônio declarado: R$665.634,27

Fotos: Divulgação de campanha

Categorias
Destaque Notícias do Jornal

Doações beneficiam famílias em situação de vulnerabilidade no Rio

Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas com a distribuição de 400 kits de higiene para famílias em situação de vulnerabilidade social no Rio. A iniciativa resulta de uma  parceria entre o UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) do Brasil e a Gerdau. As entidades Casa do Perdão, em Campo Grande, e União dos Coletivos da ZO, em Santa Cruz, são responsáveis pelas entregas nas comunidades.

Durante a pandemia, o UNICEF tem feito parcerias com empresas interessadas em doar itens de saúde para locais mais vulneráveis em todo o Brasil. O objetivo é disponibilizar kits com suprimentos fundamentais de higiene pessoal e limpeza das casas (dez sabonetes, cinco sabões em pedra, dois detergentes líquidos, quatro frascos de álcool em gel, três litros de água sanitária e três pacotes de absorvente higiênico).

“Crianças e adolescentes são as vítimas ocultas da pandemia. Embora não sejam os mais afetados, diretamente, pelo vírus são quem mais sofre as consequências da pandemia em curto, médio e longo prazos. Em parceria com a Gerdau, vamos conseguir alcançar quem mais precisa em quatro cidades, levando doações fundamentais de higiene e alimentos às famílias mais vulneráveis”, explica Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil.

A iniciativa faz parte do investimento de R$ 20 milhões que a Gerdau destinou neste ano para apoiar no combate à Covid-19 e prestar assistência às regiões onde atua no País. “A Gerdau compreende que o momento pede a colaboração e a união de todos. Por isso, nos unimos a outras instituições em busca de soluções para superarmos esse cenário desafiador, como parte do nosso compromisso com o bem-estar das pessoas e das comunidades em que estamos presentes”, explica Paulo Boneff, head de Responsabilidade Social da Gerdau.

Para conscientizar sobre os cuidados necessários neste momento de pandemia, são distribuídos, juntamente com os kits, folhetos educativos sobre saúde e proteção, uso de máscara e saúde menstrual. O intuito é disseminar informações confiáveis para a população, em especial famílias com crianças e adolescentes.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as populações infantis mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos. Saiba mais em www.unicef.org.br

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas Destaque

Bar do Zeca Pagodinho está de volta

O Bar do Zeca Pagodinho está de volta com seus dias de samba e seguindo todos os protocolos e recomendações das autoridades da saúde, garantindo a segurança de todos os seus clientes, funcionários e artistas neste período de pandemia.

A entrada só é permitida com uso de máscaras e o Bar disponibiliza álcool em gel na recepção, toillets e balcões. As mesas, além de contarem também com álcool em gel, são higienizadas a cada troca de cliente que têm a temperatura medida na entrada do shopping. Os consumidores podem acessar, em seus lugares, o cardápio digital diretamente da tela de seus smartfones, através de ‘QR Code’.

Ainda seguindo as orientações sanitárias, a pista de dança foi, provisoriamente, fechada e, para que todos possam manter o distanciamento social, o estabelecimento está com sua capacidade reduzida em 50%.

PROGRAMAÇÃO BAR DO ZECA PAGODINHO – DE 27 a 01/11

TERÇA-FEIRA: 27/10

Chapola: Tocar clássicos do samba e da MPB, sempre buscando a alquimia dos batuques e influências marcantes do choro, jazz, balanço e funk é marca registrada deste artista que traz em seu repertório o ecletismo, que impressiona várias tribos. Chapola traz, sem perder o swing, uma irreverência do som do samba ao misturar sucessos de Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e Cartola com suas músicas autorais que já estão na boca do povo como, “Paixão Verdadeira”, “Decido Ser Feliz”, entre outras. O “Samba do Chapola” é formado por Chapola (voz e cavaquinho), Albert Malandre (baixo), Alex Abreu (violão), Dudu do Salgueiro, Thiago Orega e Ricardinho (percussão).

Show: 20h30min

Couvert Artístico: R$ 25,00

QUARTA-FEIRA: 28/10

Arlindinho: Nascido em berço de bamba, o cantor e compositor, a cada dia conquista mais prestígio em sua carreira. Com um repertório vasto, Arlindinho apresenta, no Bar do Zeca Pagodinho, músicas de sucessos como, “Filho Meu”, “Um Lindo Sonho”, “Você é o Espinho e Não a Flor”, “O Show Tem Que Continuar”, “Bom Aprendiz”, “Meu Caminho” e outros.

Show: 20h30min

Couvert Artístico: R$ 25,00

QUINTA-FEIRA: 29/10

Dose Certa: O grupo mistura a malemolência da batucada paulistana com suingue carioca. Em seus shows, Dose Certa apresenta um repertório de grandes nomes como, Beth Carvalho, Monarco, Almir Guineto, Péricles, Moacyr Luz, Martinho da Vila, Bezerra da Silva e muitos outros. Dose Certa é formado por: Vitor Da Candelária (percussão), Gabriel Teixeira (vocais e banjo) e Alemão do Cavaco (cavaquinho e arranjos).

Show: 20h30min

Couvert Artístico: R$ 25,00

SEXTA-FEIRA: 30/10

Abel Luiz: Atua no cenário musical como compositor, arranjador, diretor musical e multi-instrumentista. O músico teve iniciação no cavaquinho com o avô, frequentando rodas de choro, sambas, batuques, serestas, serenatas e bailes nos subúrbios do Rio de Janeiro. Já se apresentou ao lado de Délcio Carvalho, Dona Ivone Lara, Almir Guineto, entre outros. É um dos fundadores do grupo Samba do Trabalhador e coordenador musical do Bloco Carnavalesco Loucura Suburbana, que reúne ações de cultura, carnaval e saúde mental.

Paulão Sete Cordas e Júlio Estrela: Produtor musical, arranjador e violonista, Paulão se apresenta com o cantor Júlio Estrela, interpretando os grandes clássicos de Candeia, Nelson Cavaquinho, Cartola e sucessos de Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Jorge Aragão, Wilson Moreira, Zé Keti e muitos outros. No show, além de contar com a participação de Júlio Estrela (voz), Paulão será acompanhado por, Binho (Cavaquinho), Rodrigo de Jesus (pandeiro), Jagunço (tantan) e Alex Almeida (surdo).

Shows: 18h / 20h30min

Couvert Artístico: R$ 25,00

SÁBADO: 31/10

Filhos da Guanabara: O Grupo Filhos da Guanabara leva para sua apresentação uma experiência rara às rodas de samba. Com seu repertório bem selecionado, canta sambas de grandes mestres como, Candeia, João Nogueira, Luiz Carlos da Vila, Arlindo Cruz, Zeca Pagodinho entre outros. Filhos da Guanabara é formado por: Serafim (vocal e Banjo), Dani Coimbra (vocal e Ganzá), Martan Marques (tantan) e Rodrigo Val (Pandeiro).

Grupo Arruda: Com 15 anos de carreira, o grupo apresenta ao público um repertório com uma mistura de clássicos e músicas autorais. O Arruda é formado por: Maria Menezes (vocal) Gustavo Palmito (repique mão e percussão), Fabão Araújo (surdo), Marcelinho (tantan), Anderson Popó (percussão geral), Nego Josy (voz e pandeiro), Vitor Budóia (violão) e Armandinho do Cavaco (cavaquinho).

Nando do Cavaco: Cavaquinista há mais de 30 anos, Nando já acompanhou diversos shows de grandes nomes da música, como, Jorge Aragão, Monarco, Beth Carvalho. Com seu repertório amplo, o músico recorda sambas que fizeram história e sucessos que vão desde chorinhos clássicos até os sambas atuais.

Shows: 12h30min/ 16h30min / 20h30min

Couvert Artístico: R$ 25,00

DOMINGO: 01/11

Feijoada do Leandro Sapucahy: O cantor, compositor e produtor foi influenciado pelos pais que eram apaixonados pela Música Popular Brasileira. Leandro Sapucahy cresceu ouvindo Roberto Ribeiro, João Nogueira, Moreira da Silva. No show, apresenta sucessos da carreira como, “Favela Fashion Week”, “Efeito Amor”, “Cuca Quente” e outros.

Abertura/ Samba do Gota: O Samba do Gota vem ganhando destaques por suas apresentações marcantes, com muito samba de raiz, pagode retro e sucessos da atualidade. Sua formação atual é: Gota (cavaquinho), Júlio (pandeiro), Maiquinho (percussão geral) e Beto (violão).

SERVIÇO:

BAR DO ZECA PAGODINHO

Endereço: Av. das Américas, 8585 – Shopping Vogue Square – Barra da Tijuca

Telefone: (21) 3030-9097

Couvert Artístico: R$ 25,00

Horários de Funcionamento:

Terça à Sexta: 17h às 0h30min

Sábados: 12h às 0h30min

Domingos: 12h às 0h

Capacidade: 50% do público

Faixa etária: 18 anos

Aceita todos os cartões de débito e crédito

OBS: *Não fazemos reservas de mesas

* Entrada somente com máscaras

Categorias
Destaque Entrevistas

Entrevista com Sabrina Campos, candidata a vereadora do Rio pelo PSL

Sabrina Campos é Advogada Pós-Graduada, cofundadora de Campos e Bastos Advogados, também Árbitra (Juíza Arbitral em Câmara Privada), especialista em Mediação e Conciliação, Comendadora recebedora da Medalha de Honra ao Mérito Juscelino Kubitscheck, escritora premiada pelo TJERJ e voluntária do Projeto Justiceiras.

 

Por que o desejo de vir candidata a vereadora?

Esclareço: não há desejo, há urgência. A motivação nasceu da necessidade em atender à cidade e população do Rio de Janeiro no que há muito tem sido objeto de descaso, desprezo, por parte do Poder Público. Ninguém aguenta mais a situação atual, especialmente a corrupção. Amo a minha cidade natal, cansei de ver pessoas partindo, abandonando sonhos, planos, família, em busca de um lugar melhor para viver. Quero resgatar o Rio de Janeiro, recuperar a cidade da destruição. Todos nós precisamos nos unir em uma só voz para conquistarmos melhor qualidade de vida e voltarmos a admirar a cidade referência no Brasil e no exterior, como o que um dia foi a “cidade maravilhosa”. Que minha voz, há tantos anos sufocada, seja ouvida, e a voz de todos nós ecoe na casa do Povo. Juntos, todos nós insatisfeitos com a velha política e a corrupção no Rio de Janeiro, sejamos UMA SÓ VOZ!

Dentre suas propostas, qual delas você acha a mais importante?

Minhas propostas são muitas, tenho ouvido pessoas de diferentes atuações, formações, escolaridade, classes sociais, regiões, idades, núcleos familiares, suas maiores dificuldades e pleitos. Além de advogada, árbitra (também atuo na função de juíza arbitral em Câmara Privada), sempre trabalhei como voluntária. Há cerca de mais de vinte cinco anos atuo assistindo também vítimas de violência, os mais vulneráveis, como crianças e adolescentes, mulheres, idosos e pessoas com deficiência. Minha proposta principal se dá acerca da Educação. Pretendo que o ensino se dê por período integral, que à criança e ao adolescente haja total atenção e incentivo, a prepará-los com ampla oportunidade de aulas de reforço escolar. Investir no melhor desenvolvimento físico e psicoemocional dos jovens, através de atividades desportivas, artísticas, culturais, nas escolas, reforçar a disciplina, estimular a autoestima. Cursos capacitantes, técnico-formais, preparar o jovem para o mercado de trabalho, independente de decidir cursar faculdade. Parcerias com a iniciativa privada, orientações de direitos trabalhistas, incentivo ao menor aprendiz, feiras, palestras. Manter crianças e adolescentes fora das ruas, diminuir a ociosidade, impedir a evasão escolar.

Se eleita for, qual será a primeira ação?

Se eleita, pela vontade de Deus, agirei para que os Projetos de Lei que já tenho elaborado, com as justificativas que desenvolvi, após muito estudo, pesquisa e trabalho, sejam propostos e sigam à tramitação, em defesa da garantia aos direitos mais básicos do cidadão, como os que citei, também fomentar o empreendedorismo, gerar mais vagas de emprego,  aquecer a economia após essa pandemia, valorizar o turismo, em combate ao tráfico de pessoas, prostituição e exploração sexual infantil.

A população do Rio de Janeiro pode esperar, e terá, uma vereança acessível, canais de comunicação com o cidadão, que é um parceiro nesta empreitada, pois dependo de sua perspectiva do que ocorre ao seu redor, do que a ele e sua família se faz mais necessário, para consiguir atender a coletividade. Que o cidadão do Rio de Janeiro caminhe lado a lado comigo, lutemos juntos por uma cidade livre da violência, sejamos um só!

Qual o principal problema do município hoje?

Acredito que nosso maior problema hoje seja a violência. A pandemia do COVID-19 evidenciou a falta de estrutura e as falhas graves de administrações anteriores. O isolamento resultou na perda do trabalho, dos negócios e investimentos. Portas fecharam, vagas sumiram, imóveis perderam valor, a população de rua cresceu. O estresse e o desgaste emocional afetaram as famílias, a violência doméstica e sexual, especialmente contra mulheres, crianças e adolescentes, cresceu terrivelmente, assim como os suicídios. Como voluntária a assistir a estas vítimas, venho experimentando a relação entre a perda do poder econômico com o aumento da violência. A ociosidade dos jovens, longe das escolas durante a pandemia, expostos às ruas, permite que fiquem à mercê do “recrutamento” pelo tráfico de drogas, a corrompê-los. O vício em drogas também cresceu, muitas “cracolândias” se formam. É preciso acolhimento de imediato, e mais necessário capacitar, treinar, educar e formar para que se tenha plena condição de emprego. Incentivar o empreendedorismo para criar vagas, restabelecer a economia gerando renda e poder de compra.

Sobre o combate ao tráfico de drogas, considero gravíssimo, crianças e adolescentes cada vez mais jovens têm sido corrompidos por criminosos a formar um exército de guerrilheiros, que são convencidos de que suas vidas não têm valor, e, seguem dispostos a morrer sem apreço a nada. Neles mantenho o meu foco, por isso tantos projetos para a Educação – busco proteger a nossa infância e juventude de quem os sacrificam para impor o terror. Quero essas crianças e adolescentes nas escolas, estimuladas a serem o que quiserem, desejarem, sonharem. Incentivadas ao trabalho digno, honesto, que os valores familiares da decência, da honra, sejam cultivados, a desenvolverem a boa-fé, moral e ética. Enquanto a amoralidade psicopática for o padrão de conduta na sociedade, em que tudo é justificável, as piores atrocidades encontram defensores, jamais haverá paz. Há o certo e há o errado. O moral e o imoral. Tolerar a inversão disto é contribuir para a ausência de limites, que tem feito do Rio de Janeiro um inferno onde reina a impunidade.

O que o você gostaria de acrescentar que não foi perguntado

aqui?

Gostaria de acrescentar que o direito ao voto é um dos mais importantes aos cidadãos. Quem vota mediante favores pessoais é tão corrupto quanto o político criminoso. Tal direito foi conquistado com o sangue de muitos que lutaram por este privilégio. Busque conhecer os candidatos, vote em quem se identifica. Eu lhe convido a não reeleger pessoas que não contribuíram para a cidade, mas dar chance a quem, como eu, sempre trabalhou e se doou ao seu próximo e ao Rio. Vamos juntos? Uma só voz!

 

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Destaque

Festival carioca “Ilumina Zona Oeste” realiza sua 4º edição de 06 a 08 de novembro e pela primeira vez de forma virtual

O Rio de Janeiro não é somente o terceiro estado mais populoso do país, mas também uma das cidades que mais apresenta diversidade cultural. Dentre seus bairros, a Zona Oeste, é a região mais populosa do Rio, e recebe do dia 06 a 08 de novembro de 2020 a quarta edição do ’Festival Ilumina Zona Oeste’, evento que promove a visibilidade das iniciativas culturais e sociais com a realização de oficinas, debates e apresentações artísticas. A pandemia da COVID-19 fez com que o Instituto Rio, realizador do festival desde 2017, transformasse a quarta edição do evento – que já faz parte do calendário do Rio – em formato virtual, ampliando o acesso para quem nunca pode estar lá pessoalmente e que agora terá a oportunidade de fazer parte desse universo multicultural.

O Ilumina Zona Oeste é uma realização do Instituto Rio em parceria Instituto Phi, e conta ainda com o apoio de diversos artistas e parceiros independentes. Este ano, o Festival foi selecionado no edital da empresa Via Rio, que patrocina o projeto com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (ISS) por meio da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro.

Serão ao todo 03 dias dedicados a uma programação intensa de atividades que possuem os objetivos de: fortalecer a rede criativa e dar visibilidade às iniciativas socioculturais da Zona Oeste do Rio.

 

Foto: Ilumina Zona Oeste – Feira de economia criativa(Divulgação)

Conhecer todos esses projetos da Zona Oeste do Rio de Janeiro nos fez ter a certeza de que essas riquezas precisavam ser compartilhadas e reconhecidas por todo mundo, e assim nasceu o Festival, que a cada ano ganha novos parceiros e formatos e esse ano poderá chegar a mais e mais pessoas. “. Explica Luiza Serpa, fundadora do Instituto Phi, criadora e cogestora da iniciativa.

Neste formato virtual, o evento trará cerca de 20 apresentações artísticas das seguintes áreas: música, dança, artes visuais, teatro e literatura, além de oficinas e bate-papos para incentivar a criatividade, as trocas de experiências e a reflexão de todos os participantes.

O Festival esse ano priorizou artistas e projetos “iluminados” e que, em alguma medida, “iluminam” o seu entorno, ou seja, impactam positivamente em seus territórios de origem, utilizando a cultura como ferramenta para colaborar com um Rio socialmente justo e sustentável. O Ilumina é uma oportunidade de integrar a cena sociocultural da maior região da cidade. Um monte de artistas que não se conheciam passam a atuar em rede a partir deste encontro. A Zona Oeste é o pulmão da cultura carioca. O Festival é um canhão de luz e vida, um respiro meio ao caos da pandemia”. Afirma Pablo Ramoz, curador do Festival.

Temas relevantes para o território e seus habitantes, tais como:  sustentabilidade (Os ativos naturais da Zona Oeste do Rio: da Floresta do Camboatá ao Parque da Pedra Branca, do Parque do Mendanha à Baía de Sepetiba), economia criativa, comunicação popular, protagonismo negro, escrita criativa, entre outros farão parte do evento.

As transmissões acontecerão pelas redes sociais do Festival (Facebook, Instagram e Youtube), que este ano ganhou também um site exclusivo, reunindo diversas informações sobre a Zona Oeste e seus principais atores no campo sociocultural. A visão de longo prazo é que se torne uma plataforma para difundir conteúdo e facilitar a criação de redes colaborativas na região.

SERVIÇO: Ilumina Zona Oeste

 Realização: Instituto Rio

Curadoria: Pablo Ramoz

Produção: Motriz Sociocultural

Data: 06 a 08 de novembro

Classificação etária livre

Acesse a programação no site: www.iluminazonaoeste.org.br

Categorias
Destaque Notícias do Jornal

Witzel na mira da Justiça

 

Suspeitas de dinheiro vivo coincidiram com pagamentos aos escritórios do Governador e sua esposa. Registros da Receita Federal apontam que o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), recebeu de escritórios de advocacia cerca de R$ 980 mil antes do início da campanha eleitoral de 2018. O valor é o mesmo que o empresário Edson Torres afirmou ter pago em dinheiro vivo como propina a Witzel.

Quanto ao processo de impeachment, o deputado Waldeck Carneiro (PT) foi sorteado, no Tribunal Especial Misto, que teve sua sessão inaugural realizada na quinta-feira (01).

Participaram do sorteio os cinco desembargadores e os cinco deputados que formam o colegiado. O Tribunal Especial Misto tem até 120 dias para concluir o julgamento. Se houver empate, o presidente do TJ dará o voto de minerva sobre o impeachment.

Para cassar o mandato de Wilson Witzel serão necessários os votos de sete dos dez integrantes, ou seja, dois terços da composição. Desde o dia 28 de agosto, Witzel está afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No momento em que o Tribunal Misto receber a denúncia, o governador estará duplamente afastado no caso do processo de impeachment, por motivo de crime de responsabilidade.

O presidente do TJ, desembargador Claudio de Mello Tavares, frisou que haverá imparcialidade no julgamento do impeachment e que novas diligências e acareações poderão acontecer. “Total transparência. Nós vamos buscar a verdade. Estamos reunidos aqui para isso. Buscar a verdade e fazer justiça”, disse Mello Tavares.

 

Categorias
Entrevistas

Eleições 2020 – Alex Macedo Alex Macedo é candidato a vereador do Rio em 2020 pelo Solidariedade

Por Alessandro Monteiro

Por que o desejo de vir candidato a vereador?

O desejo surgiu após muitos pedidos dos moradores das comunidades que atuo por mais de 20 anos, com meu projeto social. A partir desse momento, mergulhei na problemática diária, os sonhos, o futuro das crianças, a saúde dos idosos, em seguida, olhei o cenário político e tive a certeza, que de fato, eu posso fazer a diferença na vida daquelas pessoas e no município.

Dentre suas propostas, qual delas você acha a mais importante?

Tenho duas importantes. O combate as drogas nas escolas, fato desconhecido por boa parte da população que não tem a vivência. Atualmente muitas escolas foram invadidas pelas drogas, por jovens, pré-adolescentes que se inscreveram no sistema público escolar não para estudar, mas para comercializar.

Minha luta tem mais de 20 anos. Faço palestras não somente no Rio, mas pelo Brasil e no exterior, explicando como funciona o sistema do tráfico, dando relatos e mostrando que é possível transformar esse cenário.

No Rio, já conseguimos tirar muitos jovens das drogas e da criminalidade. Um outro projeto seria instalar escolas e cursos profissionalizantes, com foco na ressocialização desses jovens. Inserindo a força do trabalho, a renda honesta e mostrar que é possível ter o próprio negócio, sustentar a família de forma íntegra e permanecer como um cidadão de bem.

É importante atacar nas crianças e jovens, preparar o futuro. Caso contrário, nunca sairemos desse círculo vicioso de pessoas adultas inoperantes, desempregadas, incapacitada, tendo a droga, o mundo da criminalidade, o tráfico, como a única opção e realidade de vida.

Se eleito for, qual será a primeira ação?

Imediatamente chamar algumas empresas do setor privado para canalizar de forma séria, a inserção de projetos de capacitação de jovens e adultos. Embora saiba que é possível realizar através do Poder Público, mas é demorado, burocrático, mas não impossível. E vamos fazer!

O problema do Rio é droga. Existem casas de recuperação lotadas e quero fazer parceria com eles, que estão cheios de bons talentos e vontade de mudar, mas sem oportunidade.  As ruas lotadas, sendo a maioria negros, moradores de periferia, ociosos e que precisam ser trabalhados urgentemente. Então, esse será um dos pontos iniciais da minha vereança.

 O que a população pode esperar da sua vereança?

Uma vereança transparente, clara, objetiva, com projetos. Não quero ser mais um falastrão, não é meu estilo. Meu objetivo é focar em resultados que possam agregar ao município, a vida das pessoas e mostrar a sociedade, que é possível realizar uma política séria, com foco, sem corrupção e de resultados.

Como pastor, sabemos que a bancada evangélica tem muita força atualmente dentro do Estado. No entanto, é importante criar políticas que possam abranger todas as religiões, não é? Qual o seu olhar? Existirá diálogo, relacionamento e projetos com outras religiões?

Eu sou um pastor que não compactuo com intimidação de credo, cor e raça. Eu tenho uma visão política de igualdade, de sociedade. A bancada evangélica é grande, forte, mas precisa aprender muito. Sou favorável a união de todos. Hoje, vejo a sociedade evangélica bem distante do conceito de sociedade, uma visão singular de um corpo somente. É necessário somar, aproximar e focar no bem comum, independente da religião, opção, escolhas.

Amo pessoas, acredito nelas e acho que o ser humano merece tudo de melhor, porém, somos esmagados por esse sistema criado e liderado por uma minoria que manipula, exclui e destrói. Não é essa, a minha visão de política, sociedade e vida.

O meu desejo é de agregar, juntar, misturar, somar e promover resultados sérios, com base em projetos transparente não só em números, mas na vida das pessoas, que a coisa mais importante que temos.

Qual o principal problema do município hoje?

A infraestrutura, o BRT foi uma ideia muito boa, porém dividiu bairros. Eu sou da Zona Norte, mais precisamente do bairro da Penha, criado no conjunto do Quitungo, uma comunidade que fica entre Vila da Penha, Brás de Pina e Cordovil.

A população sofre com a falta de ônibus, a dificuldade é grande. Os BRTs estão lotados, transbordando de gente. É preciso reavaliar a problemática do transporte urbano. Meses atrás, moradores de vários bairros denunciaram a falta de transporte. Alguns esperam por mais de duas horas no ponto, durante a noite e a escassez aumenta, na madrugada. Como o trabalhador volta para casa?

Até agora, ninguém se debruçou para essa situação. As ruas e estradas esburacadas. Nas comunidades, nem se fala! A quantidade de lixo é enorme, as construções irregulares, outras beirando precipício, crianças, jovens e idosos ali. Temos que dar uma atenção as questões de infraestrutura. Virar os olhos, só acelera o caos.

A sensação é que a cidade parou no tempo. Não aceito a justificativa da pandemia. Isso vem acontecendo por anos e anos. É preciso uma renovação urgente, ou seremos ainda mais espagados e o município afundado em tantas problemáticas que são causadas, pelo simples desinteresse de quem ocupa dos cargos públicos, e se julgam representantes do povo.

O que o você gostaria de acrescentar que não foi perguntado aqui?

A falta de comunicação tanto dos vereadores, do prefeito com a população. Ninguém se fala. Cada um, vive debruçado em seus interesses, canetando o que lhe convém, sem ouvir a população. A dificuldade de falta de mobilização continua, não existem mais protestos, reações. Uma situação jamais vista numa cidade como o Rio. A população parece que desistiu de lutar pela oposição do que está aí, todos anestesiados. ´

Parece que a cidade não tem prefeito, vereador, também quero acrescer a situação da falta de emprego. Cidades menores que nós, já conseguiram se reestruturar, e o Rio não consegue andar, continua nessa panaceia, estático. Uma cidade linda, maravilhosa e funcional para o turista. Para nós, que vivemos aqui, os desafios e os problemas são imensos, mas sou complemente apaixonado por ela.

Categorias
Destaque Rio

Campanha Redescubra o Rio dará descontos em atrações turísticas

Foi lançada hoje (12), no Rio de Janeiro, a campanha Redescubra o Rio, liderada pelas cinco principais atrações da cidade. O objetivo é oferecer descontos de 30% a 50% nos ingressos para estimular visitas no período de retomada das atividades, fechadas em março por causa da pandemia de covid-19. Serão beneficiados moradores do estado do Rio de Janeiro, mediante apresentação de comprovante de residência.

Participam da campanha o AquaRio, o Bondinho do Pão de Açúcar, o Jardim Botânico, a roda gigante Rio Star e os dois sistemas que dão acesso ao Cristo Redentor, que são o Trem do Corcovado e o Paineiras Corcovado. Os turistas serão levados por vans aos locais.

Os pontos turísticos já anunciaram que vão reabrir neste sábado (15) com restrições de capacidade e seguindo as normas sanitárias para combater a propagação do novo coronavírus. A campanha Redescubra o Rio termina no dia 15 de setembro.

Jardim Botânico

A adesão do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, instituição vinculada ao Ministério do Meio Ambient ocorreu por meio de decreto publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União.

O parque reabriu ao público no dia 9 de julho, com visitas agendadas. Alguns espaços permanecem fechados, por serem propícios a aglomerações. O ingresso custa R$ 15 a inteira e o desconto oferecido no Redescubra Rio é de 30%.

 

Turismo no estado

Em decreto publicado hoje no Diário Oficial do Rio de Janeiro, o governo do estado autoriza a abertura de pontos e locais de interesse turísticos, limitados à lotação de 50% da capacidade. Agências de viagens, operadores turísticos e serviços de reservas podem voltar a operar em horário integral.

O decreto autoriza também a realização de eventos sociais em salões e casas de festa nas regiões classificadas como de baixo risco de propagação do novo coronavírus. No momento, a liberação vale para as regiões Metropolitana I, Metropolitana II, Centro Sul, Médio Paraíba e Norte. Os estabelecimentos terão que assegurar o respeito ao limite de um terço da capacidade total e o máximo de 500 pessoas.

Os dados usados como base para a liberação das atividades estão no Pacto Covid. A última atualização do mapa de risco foi feita no dia 4 de agosto. O decreto autorizou também atividades presenciais em cursos, nas regiões classificadas como de baixo risco de contágio.

 

Categorias
Destaque Notícias do Jornal

Um Rio à deriva

Por Alessandro Monteiro

Como denunciado anteriormente, o esquema bilionário de corrupção envolvendo a pasta da saúde no governo estadual parece não ter fim. O governo de Witzel, que deveria ser marcado pela excelência, recebe novas denúncias de favorecimento as prefeituras com liberação de valores especiais do Fundo Municipal de Saúde, destinado para atender as demandas emergenciais de saúde dos municípios.

As verbas cedidas pelo governo do estado parecem não corresponder às demandas dos municípios e sim, as relações pessoas do governador Witzel, como por exemplo o repasse feito à prefeitura de Duque de Caxias, que recebeu mais de R$ 1milhão de reais, em relação a prefeitura do Rio em tão pouco tempo.

É perceptível a forte de relação de amizade de Witzel e Washington Reis, atual prefeito de Duque de Caxias, e tudo indica que essa aproximação e apoio de Reis ao governo do Rio, favorece bastante o caixa.

Relembrando, que o município de Caixas, cruzou os braços para ações de controle da pandemia do novo coronavírus, tendo Reis, como seu maior incentivador que estaria tudo no controle.

Os municípios de Valença, Volta Redonda também foram beneficiados com verbas especiais, reforçando ainda mais a certeza do “coronelismo” instalado no governo.

Witzel que tenta sobreviver ao processo de impeachment instaurado na Assembleia Legislativa do Rio, tenta ganhar fôlego negociando cargos de secretarias do estado e buscando estabelecer também uma relação mais próxima com André Ceciliano, atual presidente da Alerj.

Na última terça-feira (28), a Alerj recorreu a decisão do ministro Dias Toffoli (STF), que desmontou a comissão especial formada para analisar o processo de impeachment de Witzel. O ministro entendeu que 25 deputados formado para elaborar um parecer sobre o afastamento desrespeitou entendimentos estabelecidos pela Corte.

 

Foto: Reprodução

O relator do pedido na Corte é o ministro Luiz Fux, que é carioca e tem boa interlocução com a classe jurídica fluminense – Witzel é ex-juiz.

“A Casa vai argumentar que o rito estabelecido pela Lei 1079/50 (Lei do Impeachment) está sendo respeitado, com a representação de todos os partidos na comissão especial que analisa a denúncia e a garantia da ampla defesa do governador”, afirmou a Alerj, em nota. “Uma reunião entre os líderes partidários será realizada na tarde de hoje para definir a data em que será impetrado o recurso.”

Em rápida análise, a decisão do ministro retroage o processo, que retorna a fase inicial, exigindo a formação de uma nova comissão e mais fôlego para Witzel, que bom conhecedor das leis e estrategista, luta para não ter a cabeça cortada de vez, que para população, seria um alívio e a certeza da eficácia da justiça, em resposta aos esquemas de corrupção.

Um Rio de mazelas

Importante relembrar também a compra que a compra milionária de equipamentos importados da China pela Organização IABAS para atender a demanda dos hospitais não serviram para nada, permanecem encaixotados no Aeroporto Internacional Tom Jobim, que logo se tornaram sucatas do dinheiro público.

Na última quarta-feira (29), o Governo do Estado anunciou que até 12 de agosto, todos os hospitais de campanha serão desativados e não informou qual destino terão os equipamentos, leitos e tudo mais que tenha sobrado desse pesadelo.

Por outro lado, profissionais do SAMU denunciaram a precariedade no atendimento a população, a falta de salário que entra no quarto mês, a falta de manutenção das ambulâncias e insumos básicos para atendimento à população. No início da sexta-feira (31), os funcionários anunciaram a paralização e decidiram lutar para reaver salários, exigindo melhores condições de trabalho e manutenção dos equipamentos.

Foto: Reprodução

Os repasses foram interrompidos por suspeitas de fraudes nos repasses a empresa Ozz Saúde – Eireli, responsável pela operação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) na cidade do Rio. A ordem partiu do ministro João Otávio de Noronha, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, que após analisar parte do processo, ficou surpreso com o aumento num contrato emergencial sem licitação, passa de R$ 27 milhões para R$ 166 milhões durante a pandemia.

Tantos esquemas bilionários envolvem cada vez mais a cidade em escândalos e transformam o cenário de belezas naturais, num buraco sem fundo, que políticos usam o artifício de só “passar o anel”, sendo responsável por centenas de óbitos e graves deficiências no sistema e gestão governamental. Para muitos, uma fonte de renda, para outros milhares, a certeza de estagnação, impunidade e a interrupção de famílias, sonhos e o mínio de qualidade de vida.

A política atual do Brasil, serve apenas para beneficiar aqueles eleitos pelo povo, prevalecendo os interesses pessoais, sendo todos dominados pelo “vil metal”. Não seria difícil reunir todos esses poderes, com objetivo único, de melhorar e amenizar tantos impactos negativos e sofrimento a população, que agoniza.

O prefeito Marcelo Crivella resolveu liberar o banho de mar nas praias da cidade e também a venda de produtos industrializados por ambulantes no sábado (1). As medidas fazem parte da quita fase de flexibilização. Em alguns pontos da cidade, pessoas aglomeradas não cumpriam as recomendações de distanciamento, fato que preocupa bastante a direção da Fiocruz, que publicou na semana passada, um boletim com números expressivos ao novo processo de contaminação.

Caso tenhamos uma “segunda onda” de contágio, o sistema público de saúde de fato, entrará em colapso por tantas deficiências, pela corrupção e a grande falta de responsabilidade e respeito com a população. É necessário estreitar os diálogos entre os governos para que efetivamente, o estado consiga se reerguer, ao contrário disso, “seja lá, o que Deus quiser”.