Categorias
Notícias Política Rio

Deputados querem acabar com furto, roubo e receptação de combustíveis

 

A Alerj aprovou hoje 16/12, em regime de urgência, em discussão única, o Projeto de Lei Nº 462/2019, de autoria dos Deputados Martha Rocha, Chicão Bulhões, Bruno Dauaire, Subtenente Bernardo, Waldeck Carneiro e Rosenverg Reis, que dispõe sobre a aplicação de penalidades administrativas para combater o roubo, o furto e a receptação de combustíveis ou dutos no Estado do Rio de Janeiro. O texto seguiu para sanção do governador em exercício, Cláudio Castro.

De acordo com o deputado estadual Waldeck Carneiro, um dos co-autores da proposta, o projeto é oriundo da Frente Parlamentar que trabalhou sobre o tema do roubo de carga e da receptação de produtos no Rio de Janeiro por comerciantes que se beneficiam deste artifício para realizar uma concorrência desleal no mercado. “Este projeto busca coibir este crime, que é muito comum no estado. Assim como outro projeto advindo desta mesma Frente Parlamentar – o que buscava evitar este mesmo procedimento delituoso em relação ao roubo de cabos, fios e placas – que se aplique à questão dos combustíveis, que é um produto valioso, tem alto valor no mercado e, por isso, é preciso proteger as pessoas que trabalham de forma correta com este material, em observância à lei, coibindo todo tipo de delito e deslealdade nesta área”, afirmou o parlamentar.

Na proposta, a pessoa física ou jurídica que adquirir, distribuir, armazenar, estocar, portar, transportar, revender ou expor à venda combustível proveniente de ilícito, inclusive seus dutos de movimentação de combustíveis, de que resulte no derramamento ou não de petróleo ou produto derivado, álcool etílico, hidratado carburante e demais combustíveis líquidos carburantes, bem como do escapamento de gás natural, produto de crime, estará sujeita às penalidades

As penalidades aplicadas serão multa, apreensão e perda do produto, interdição total ou parcial do estabelecimento e cancelamento a inscrição no cadastro de contribuintes do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS, da pessoa jurídica ou de seu conglomerado econômico, com aplicação de multa ou não aos seus sócios, além da suspensão da prerrogativa dos sócios do conglomerado econômico envolvido por constituírem empresa para os fins vedados pela Lei, por um período mínimo de cinco anos, no Estado do Rio de Janeiro.

Poderão ser penalizados pela lei as pessoas física e jurídica, os sócios, os administradores e o conglomerado econômico. A multa será fixada em montante não inferior a dez mil e não superior a dez milhões de vezes o valor da Unidade Fiscal de Referência (UFIR-RJ).

Categorias
Destaque Rio

Sambódromo recebe moradores de rua a partir desta segunda-feira

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, informou que o Sambódromo vai começar, a partir desta segunda-feira (30/03), a abrigar a população em situação de rua, uma das medidas tomadas pela Prefeitura para evitar a disseminação do novo coronavírus. A prioridade será levar para o espaço idosos, grávidas e mulheres acompanhadas de crianças.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) já transformou em quartos, oito salas de aula das três escolas municipais que funcionam sob as arquibancadas do Sambódromo. O espaço, com capacidade para 400 pessoas, foi dividido em três áreas: uma para receber 128 homens adultos; outra para 144 vagas disponíveis a mães com crianças, gestantes e mulheres; e a terceira com capacidade para até 120 idosos.

Categorias
Rio

Rio, Capital Mundial da Arquitetura, receberá eventos sobre urbanismo

Por: Franciane Miranda

A capital francesa foi palco, na última terça-feira (18), de um encontro realizado entre a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), e delegação do Comitê Organizador Rio Capital Mundial da Arquitetura 2020.  Na reunião foi apresentado oficialmente o calendário dos eventos.  Neste ano, a cidade será o centro da discussão mundial sobre urbanismo e sustentabilidade. Serão realizados vários eventos que apresentarão para todo o mundo a grandiosidade da arquitetura do nosso Estado.

O Rio também receberá, entre os dias 19 e 23 de julho, o 27º Congresso Mundial de Arquitetos. O tema escolhido foi: “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”. Os eventos e o título também trazem diversas responsabilidades. Além de divulgá-los, outro objetivo é debater sobre vários temas relacionados aos meios urbanos e ao futuro das cidades no planeta.

O título de Capital Mundial da Arquitetura foi concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e pela União Internacional de Arquitetos (UIA). Uma conquista da Prefeitura do Rio, em parceria com o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB).

A proposta é fazer uma reflexão sobre a importância da arquitetura e do urbanismo na vida das pessoas, além do seu impacto no dia a dia. Neste momento, todos os olhares estão voltados para décimo primeiro objetivo da agenda 2030 da ONU. Os conhecidos (ODS), Objetivo Desenvolvimento Sustentável, da Organização das Nações Unidas (ONU). A meta 11 é “Fazer com que as cidades e os assentamentos humanos sejam inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”. Segundo pesquisa realizada pela entidade, atualmente 55% da população mundial residem em áreas urbanas e a expectativa é de que até 2050, o número aumente para 70%.

A programação oficial foi divulgada no final do no ano passado na tradicional festa de Réveillon na Praia de Copacabana. Alguns roteiros culturais foram disponibilizados para população fluminense e turistas. Entre eles, a comemoração dos 100 anos do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB); a organização de encontros para produção de esboços urbanos produzidos pelo grupo Urban Sketchers; além de uma exposição no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), em homenagem aos 100 anos do arquiteto e urbanista Sergio Bernardes (1919-2002).

Foi publicado no Diário Oficial do Município pela Prefeitura do Rio de Janeiro, um convite direcionado aos produtores culturais, instituições nacionais e internacionais para mostrarem projetos direcionados à arquitetura, paisagismo, gestão urbana, patrimônio cultural e debates sobre o futuro dos grandes centros urbanos. Todos dialogando sobre como queremos e como planejaremos as cidades futuras. Os escolhidos ganharão uma carta e apoio institucional, além do direito de usar logomarcas do Congresso Mundial de Arquitetos e do Rio Capital Mundial da Arquitetura.

Para os interessados que queiram participar deste importante projeto, as inscrições podem ser realizadas através do acesso neste link

 

Categorias
Rio

Escola de Samba campeãs voltam hoje à Marquês de Sapucaí

As escolas de samba do Grupo Especial do  Rio de Janeiro retornam à Marquês de Sapucaí na noite de hoje (29) para o Desfile das Campeãs. Em um ano em que o desempate definiu as quatro primeiras posições, a apresentação desta noite deve mostrar porque a apuração foi tão equilibrada. Apenas sete décimos separaram as seis primeiras colocadas do carnaval do Rio, que terminaram a apuração na seguinte ordem: Viradouro (269,6), Grande Rio (269,6), Mocidade (269,4), Beija-Flor (269,4), Salgueiro (269,0) e Mangueira (268,9).

O desfile começa às 21h30 com a Estação Primeira de Mangueira, que ficou em sexto lugar em 2020. Campeã no ano passado, a escola manteve o carnavalesco Leandro Vieira, e fez uma releitura da história de Jesus, aproximando-o de vítimas de problemas raciais e sociais da atualidade.

O segundo desfile deve começar entre 22h30 e 22h40 e trará de volta à avenida a Acadêmicos do Salgueiro, que contou a história do primeiro palhaço negro do Brasil, cujo nascimento faz 150 anos neste ano.

Entre 22h30 e 23h50, entra na Sapucaí a Beija-Flor de Nilópolis, que teve a mesma pontuação que a terceira colocada, mas perdeu no quesito Harmonia, que era o primeiro critério de desempate. A azul e branca da Baixada Fluminense desfilou com o enredo “Se essa rua fosse minha”, que falou de jornadas, peregrinações e caminhos.

A Mocidade Independente de Padre Miguel deve iniciar seu desfile entre 0h30 e 1h, celebrando a terceira posição no carnaval do Rio. O enredo da escola da zona oeste foi uma grande homenagem à cantora Elza Soares, atravessou a avenida no último carro da agremiação.

Vice-campeã de 2020, a Acadêmicos do Grande Rio está prevista para 01h30 a 02h10. A escola chegou bem perto de seu primeiro título com a homenagem a Joãozinho da Gomeia, conhecido como o Rei do Candomblé. Com os carnavalescos estreantes Leonardo Bora e Gabriel Haddad, a escola teve a mesma pontuação que a campeã, e só perdeu no segundo critério de desempate, que foi o quesito Evolução.

O enredo “Viradouro de Alma Lavada” marcou o segundo título da escola de Niterói, que contou a história do grupo musical Ganhadeiras de Itapuã, que nasce da tradição das lavadeiras. Assinado pelo casal de carnavalescos Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira, o enredo exaltou as ganhadeiras como as primeiras feministas do Brasil. O desfile campeão está programado para começar entre 2h30 e 3h20.

Foto: A.Br

Categorias
Destaque Rio

Homenagens e surpresas no segundo dia de desfiles na Sapucaí

Por: Claudia Mastrange

O segundo dia de desfiles das escolas do Grupo Especial, na Marquês de Sapucaí, foi repleto de emoções. Teve desde a estrelíssima Elza Soares enaltecida pela Padre Miguel e ovacionada pelo povão, passando pelo Rio dos sonhos de Paulo Barros – de volta à Tijuca -, ao tombo ‘elegante’ da cantora Lexa, rainha de bateria da Vila Isabel, até a surpreendente e arrebatadora comissão de frente da Beija-Flor, que, junto com a Mocidade, volta a brigar pelo título depois de ter ficado em um modesto décimo-primeiro lugar em 2019. Portela, Mangueira, Viradouro e Grande Rio, que desfilaram no domingo (23) também estão na briga pelo título de campeã.

Autor do samba-enredo, Marcelo Adnet encarnou o presidente da República (Foto Riotur)

A São Clemente abriu os trabalhos, com o enredo que enfocava ‘O Conto do Vigário’ com o rol de espertezas e ‘jeitinhos’ que há tempos assolam as relações sociais e políticas. Na crítica bem-humorada, destaque para a bateria de ‘laranjas’, a ala da grávida de Taubaté e o humorista Marcelo Adnet, autor do samba-enredo da agremiação, que encarnou o presidente da República, com direito a fazer ‘arminha’ com a mão. “Hoje temos o conto do vigário institucionalizado. Mas o samba propõe uma virada, uma mudança nessa realidade”, declarou o artista.

 

 

Beleza em verde e amarelo na ala das baianas da Vila (Foto Diário do Rio)

A Vila Isabel contou, em forma e lenda, a história dos 60 anos de Brasília com o enredo “Gigante pela própria natureza: Jaçanã e um índio”. O Abre Alas monumental, com mais de 70 m de comprimento foi um dos destaques. A rainha de bateria Aline Riscado estava belíssima, mas a apresentadora Sabrina Sato roubou a cena, desfilando ao lado de Martinho da Vila, patrimônio vivo da Vila e da cultura nacional.

O Salgueiro levou para a avenida a história de Silas de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil, nascido em 1870. Multitalentoso, era também músico, compositor, ator, acrobata… “É um enredo necessário”, declarou a atriz Érika Januzza, musa da escola, que se emocionou com o desfile. A escola exaltou a representatividade, sempre fazendo referência ao circo, e trouxe Aílton Graça, encarnando Silas..

Salgueiro levou o circo de Silas de Oliveira para a avenida (Foto Diário do Rio)

A rainha das rainhas, Viviane Araújo, brilhou mais uma vez e o carro de som, com os cantores fantasiados de bichinhos, foi um dos mais criativos.

A Unidos da Tijuca levou à Sapucaí o sonho de um Rio perfeito, idealizado pela mente criativa – e campeoníssima – do carnavalesco Paulo Barros, de volta à escola. ‘Onde Nascem os Sonhos’ desenhou um Rio com boas condições de saúde, educação, segurança  e urbanização, bem diferente da cidade que nem água potável consegue oferecer aos moradores. A rainha de bateria Lexa caiu durante a evolução, mas, apoiada pelo mestre Casagrande, levantou e seguiu lindamente. “Já caí e levantei muitas vezes na vida. Eu levanto e sigo em frente”, declarou a cantora.

Um dos desfiles mais aguardados da noite, por homenagear a diva Elza Soares, de 89 anos, a Mocidade Independente de Padre Miguel contou a trajetória da ‘Elza Deusa Soares’, mostrando desde a menina que cantava levando a lata d´água na cabeça e que, no programa comandado por Ary Barroso declarou ter vindo do ‘planeta fome’, até a estrela internacional e referência para as mulheres negras, pobres, batalhadoras do pão de cada dia e do respeito que ainda está longe do ideal. Não é a toa que a letra do samba de Sandra de Sá exalta: ‘Essa nega tem poder!’.

Elza Soares se emocionou com a homenagem da Mocidade (Foto Fernando Grilli/ Riotur)

Determinada a virar o jogo em relação a 2019, quando quase foi rebaixada, a Beija-Flor de Nilópolis causou impacto assim que iniciou o desfile. No Abre Alas, uma turma em motocicletas e figurinos ao estilo ‘Mad Max’ introduziu o enredo, de Alexandre Louzada e Cid Carvalho, ‘Se essa rua fosse minha’, que fala das ruas, estradas e caminhos da vida, desde a criação do mundo.  Rotas da humanidade que, no carnaval, têm como destino a rua mais cobiçada: a Marquês de Sapucaí.

Comissão de frente da Beija Flor causou impacto (Foto Riotur)

Agora é esperar a apuração da quarta-feira para ver que escola fez o melhor caminho para conquistar o título de campeã do carnaval carioca.

 

Categorias
TV & Famosos

Ághata Moreira estreia na Sapucaí e beija muito

A atriz Ághata Moreira esbanjou animação em sua estreia na Sapucaí, desfilando em um carro na Grande Rio, no domingo (23).Com o samba na ponta da língua, ela evoluiu visivelmente emocionada. Boa parte do público comentava que ‘Josiane’ da novela estava linda, numa referência à sua personagem-vilã na novela “A Dona do Pedaço’.

Paixão total com o namorado Rodrigo Simas (Foto: Roberto Teixeira)

E se na Passarela do Samba as energias de Ághata estavam focadas na escola de Caxias, em um dos camarotes mais badalados do Sambódromo a atriz curtiu mesmo foi o chamego do namoradão, o ator Rodrigo Simas. Os dois chegaram juntinhos no maior clima, nesta segunda (24). E beijaram muito!

Categorias
Destaque Rio

Encanto, crítica social e emoção na Marquês de Sapucaí

Por Claudia Mastrange

Um deslumbre de cores, criatividade e emoção. Assim foi o primeiro dia de desfiles das escolas de samba do grupo especial na Marquês de Sapucaí, no domingo, 23. Estácio, Viradouro, Mangueira, Grande Rio, Paraíso do Tuiuti, União da Ilha e Portela levantaram o público do Sambódromo. Destaque para o Cristo de múltiplas faces da Mangueira, a sereia ginasta da Viradouro e a força do enredo da Grande Rio. Nesta segunda (24 ) será a vez de São Clemente, Vila Isabel, Salgueiro, Unidos da Tijuca, Mocidade e Beija-Flor desfilarem na Sapucaí.

Grandiosidade dos carros: deslumbre (Foto Diário do Rio)

Logo na abertura, a Estácio de Sá, de volta ao grupo especial, após quatro anos, e capitaneada pela respeitadíssima carnavalesca Rosa Magalhães, detentora de nove títulos, entrou com garra na avenida. O enredo ‘Pedra’ foi defendido com empolgação e samba no pé e belas alegorias, como Abre-Alas, que mostrava do primitivismo às viagens à lua.

 

A atleta Anna Giulia encarnou uma linda sereia (Foto Riotur)

A Viradouro chegou chegando à avenida. A agremiação de Niterói deu um banho de criatividade e beleza ao levar para o desfile um tanque com 7 mil litros de água em que a atleta da seleção brasileira de nado sincronizado Anna Giulia, tornou-se uma bela sereia que ficava até um minuto submersa, evoluindo. Tudo a ver com o enredo da escola ‘Viradouro de alma lavada’, que homenageou as ‘ganhadeiras de Itapuã’.

 

O Cristo negro crucificado (Foto Diário do Rio)

Honrando a expectativa em torno de seu enredo, a Mangueira, campeão de 2019, emocionou, mostrando Jesus Cristo que pode assumir várias faces e, por que não? Nascer na favela ou vir ao mundo na forma feminina, como representou a rainha de bateria Evelyn Bastos. Ela encarnou ‘Jesus Mulher’, com respeito e graça. No fim o Cristo crucificado, era negro e as marcas de pregos foram substituídas por marcas de tiro. Qualquer semelhança certamente não é mera coincidência.

 

O desfile da Grande Rio foi marcado pela força espiritual do enredo, que contou a  história do pai de santo Joãozinho da Goméia, mas também por alguns sustos. Ainda na armação, com os primeiros componentes entrando, o imenso Abre Alas quebrou o chassi e não conseguia entrar na avenida. Abriu-se um grande espaço, mas logo o problema foi contornado e o carro passou já com pequenas avarias. No decorrer do desfile um outro carro deu problema , o que pode fazer com que a escola perca pontos nos quesitos evolução.

Atriz Paolla Oliveira brilhou como rainha da Grande Rio (Foto Fred Pontes)

A União da Ilha apostou na crítica social e, logo na abertura apresentou um carro representando uma comunidade, com o sobrevoo de um helicóptero, cena comum no cotidiano do Rio e Janeiro. A escola, no entanto, teve problema com um dos carros e, no final, precisou correr muito, mas estourou em um minuto o tempo regulamentar para o desfile.

O fictício encontro de dois ‘Sebastiões’ – o padroeiro do Rio São, Sebastião e o rei português Dom Sebastião – foi o enredo da Paraíso do Tuiuti. A ideia era pedir proteção em dobro para o Rio. Destaque para os bonecos realistas, representando pessoas da comunidade e a estreia da apresentadora Lívia Andrade como rainha de bateria.

 

A Portela encerrou o primeiro dia de desfiles (Foto Riotur)

A águia da Portela soltou seu tradicional grito para encerrar o primeiro dia de desfiles com chave de ouro, ou melhor, com um mar azul. As cores da Portela encheram de cor e brilho a avenida, na hora em que o dia começava a clarear

 

Categorias
TV & Famosos

Dia do Esportista: prática ajuda a cuidar da saúde e alegrar a alma

Neste Dia do Esportista – comemorado em 19 de fevereiro – que em todas as suas modalidades faz bem para a saúde do corpo e da alma, que  tal lembrar algumas personalidades que não abrem mão de suar a camisa em esportes pelos quais são apaixonados?

Com toda a simpatia que lhe é peculiar, o chef Claude Troigros gosta mesmo é de esportes radicais e sua motocicleta é a companheira de estrada. A foto acima foi feita na Chapada Diamantina durante um de suas férias. Claude já fez mais de 11 enduros e participou do Rally dos Sertões, por exemplo.

Antes de pensar em fazer jornalismo, a apresentadora Fátima Bernardes dava aulas de dança e sonhava ser bailarina… No final do ano passado, ela se apresentou durante um evento do Escola de Dança Carlota Portela, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Fátima é apaixonada por dança

Já o ator Malvino Salvador é apaixonado por luta. Além do atuar muito bem, o galã, que é casado com Kyra Gracie, também não nega fogo no tatame. Ele curte diversos tipos de luta, mas jiu jitsu é sua paixão.

O astro internacional Tom Hanks também consta da nossa lista: ele gosta de praticar stand up paddle.

A  atriz Grazi Massafera, por sua vez, é adepta da yoga. A beldade está sempre postando fotos em seu Instagram e, muitas delas, com a participação da fofíssima Sofia, sua filha com o ator Cauã Reymond.

 

“O esporte é uma maneira incrível de você se conectar com cada parte do seu corpo”

A cantora Lindy ama andar de skate: rotina saudável

Já a jovem cantora Lindy traz sua contribuição mixando música e skate. “O esporte é uma maneira incrível de você se conectar com cada parte do seu corpo e faz muito bem a saúde. O skate trabalha com seu auto controle dos seus movimentos, pois qualquer movimento errado pode fazer você cair, e o treino é a base de tudo para um melhor domínio do de si. Esse esporte é importantíssimo para os jovens de hoje, pois estamos numa época em que muitos optam por ficar dentro de casa entocados ,em vez de ter uma prática interessante que leve a pessoa para fora de casa para andar ou fazer algo próximo a natureza. O skate proporciona isso, o nosso contato com o mundo real e as coisas ao nosso redor”.

 

Fotos: Reprodução

Categorias
Destaque Rio

Metrô Rio disponibiliza postos de vacinação contra o sarampo

Por: Claudia Mastrange

Com o objetivo de ampliar o número de pessoas imunizadas contra o sarampo, a Secretaria de Estado de Saúde mantém, em parceria com a concessionária Metrô Rio, postos de vacinação nas estações de Metrô. No Largo da Carioca, quem passava para ir para o trabalho na manhã desta terça-feira, 18 de fevereiro, muitas vezes desacelerava o passo e reservava um tempinho para garantir a imunização. O posto fica localizado no mezanino inferior, próximo à academia Smart Fit e vai funcionar até a quinta-feira (20), das 8 às 14 h.

“Estamos aplicando a dupla viral, que imuniza contra o sarampo e a rubéola. Pessoas de seis meses a 59 anos, conforme tem sido divulgado na campanha”, declarou uma funcionária da SES, que preferiu não se identificar. O procedimento é simples: as pessoas fazem um pequeno cadastro e logo recebem um folheto explicativo e, a seguir, a vacina e sem muita demora ou burocracia.

Além desse, há ainda outros postos de vacinação no Metrô: estação Maracanã (dias 18 e 19/02 – das 9h às 14h, no corredor próximo às catracas) e estação Siqueira Campos (dia 20/02 – das 9h às 14h, no corredor próximo ao acesso B – Rua Figueiredo Magalhães).

Estação da Carioca do Metrô atende a população que busca imunização contra o sarampo

O objetivo da SES, ao disponibilizar postos fixos e móveis de vacinação em locais de grande circulação de pessoas é incentivar a imunização, em um momento em que os casos de sarampo voltaram a assustar. Em 2020 o Rio já registrou 189 casos da doença. Em 14 de fevereiro foi confirmada a primeira morte, causada pela doença, em 20 anos: o menino David Gabriel, de 8 meses, que morreu em um abrigo, em Nova Iguaçu.

PONTOS FIXOS

Central do Brasil
Metrô Carioca
Barcas (Praça XV)
Aeroporto Santos Dumont
Rodoviária do Rio
Hemorio (R. Frei Caneca, 8)* 7h às 18h
Iaserj Maracanã (R. Jaceguai S/N)* 8h às 16h

PONTOS MÓVEIS

18 a 20 de fevereiro – 8h às 14h

Jacarepaguá – Praça Roberto V Pequeno – Cidade de Deus – Em frente a UPA
Japeri – Bairro Chacrinha – R. São José S/N
Maricá – Campo do Verdão – R. Leonardo José Antunes S/N – Inoã* (8h às 17h)
Cabo Frio – Praça do Moinho – Peró

Campanha continua até 13 de março

Vacina é o único recurso para combater o sarampo (Foto SES)

No Dia D de vacinação contra o sarampo, que aconteceu no sábado (15 de fevereiro), 174.797 mil pessoas foram imunizadas no estado do Rio de Janeiro. Desde o dia 13 de janeiro, quando a campanha foi lançada, 370.743 pessoas foram vacinadas contra a doença. Após a campanha, que termina em 13 de março, a rede pública de saúde continuará a vacinar normalmente,durante todo o ano..

Para o médico da Secretaria de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, a vacina, além de garantir a proteção individual, atua também na coletividade.“O ato de vacinar envolve duas vertentes de proteção. A primeira consiste na imunização de um indivíduo e, no segundo momento, o que chamamos de proteção de rebanho, quando há uma proteção de toda a comunidade”, declarou Chieppe.

Sintomas

Os principais sintomas do sarampo são mal-estar geral, febre, tosse, coriza e manchas brancas na mucosa oral. A doença também provoca conjuntivite e se caracteriza por apresentar manchas vermelhas que aparecem no rosto e se espalham por todo o corpo. O sarampo é uma doença que passa com facilidade de uma pessoa para outra por meio da fala, tosse e espirro.

Casos em que a vacina não deve ser administrada

Pessoas que apresentarem doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até modificação do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Também não é indicado o imunizante a quem recebeu imunoglobulina, sangue e derivados, transplantados de medula óssea, quem apresenta alergia ao ovo e gestantes.

Fotos:Diário do Rio

Com informações da SES/RJ

Categorias
Vitor Chimento | Serra

Fazendas: memórias de um Brasil guardadas em alvenaria e pedra

As fazendas foram sedes dos principais centros produtivos da economia brasileira no século XIX e também as residências aristocráticas mais sofisticadas do período, reunindo o que havia de mais requintado.

O circuito das fazendas históricas do Vale do Paraíba do Sul Fluminense – o Vale do Café – abrange os Municípios de Vassouras, Valença, Rio das Flores, Barra do Piraí, Engenheiro Paulo de Frontin, Mendes, Paty do Alferes, Miguel Pereira, Paraíba do Sul e alguns Distritos como Ipiabas e Conservatória, que pertencem a Barra do Pirai e Valença, respectivamente.

O dinheiro do café construiu ferrovias, iluminação pública e promoveu todo tipo de investimento em infraestrutura que o Brasil edificou durante esse período, além das fazendas históricas construídas pelos nobres da região (“Barões do Café”) consideradas como verdadeiros palacetes rurais decorados e mobiliados com o luxo que a Europa tinha, na época, para vender.

As fazendas históricas do Vale do Café preservadas em sua arquitetura, em diferentes estados de conservação e rodeadas de belas paisagens, são um marco áureo do Ciclo do Café, do século XIX. As propriedades permitem vislumbrar como funcionava o processo de beneficiamento do grão do café e, em algumas dela,s os visitantes são recebidos por guias vestidos com trajes típicos .

Ao todo são em torno de 200 fazendas, sendo que, atualmente, somente 30 são abertas à visitação. São uma excelente opção para complementar ou iniciar a aprendizagem sobre o Ciclo Cafeeiro no Brasil e de se fazer uma viagem ao passado até o tempo em que os barões ostentavam poder e riqueza. cada uma possui uma história singular, com acontecimentos marcantes e curiosidades da época.

Fazendas do Vale do Café

BARRA DO PIRAÍ – Fazenda Arvoredo, Fazenda Taquara, São João da Prosperidade, Aliança, Fazenda Bocaina, Fazenda Ponte Alta
MIGUEL PEREIRA – Fazenda Santa Cecília, Fazenda São João da Barra
PATY DO ALFERES – Fazenda da Boa Esperança, Fazenda Monte Alegre, Fazenda Pau Grande
CONSERVATÓRIA – Fazenda Florença
PARAIBA DO SUL – Fazenda Boa Vista
RIO DAS FLORES – Fazenda Paraizo, Fazenda União, Fazenda Campos Elíseos, Fazenda Santo Antonio
VALENÇA – Fazenda Vista Alegre, Fazenda Chacrinha
VASSOURAS – Fazenda Cachoeira do Mato Dentro, Fazenda Secretário, Fazenda Cachoeira Grande, Fazenda Mulungu Vermelho, Fazenda Santa Eufrásia, Fazenda São Fernando, Fazenda São Luiz da Boa Sorte.

Fotos: Reprodução

Vitor Chimento, Biólogo e jornalista

MTb 38582 RJ

[email protected]