Categorias
Cultura

ELIANA PITTMAN Lança Álbum em Show no Teatro Rival Refit com Trasnsmissão ao Vivo pelo YOUTUBE

A convite do Teatro Rival Refit, a cantora e atriz ELIANA PITTMAN faz, no dia 24 de outubro, sábado, transmissão especial do show de lançamento do seu novo álbum, “ONTEM, HOJE E SEMPRE”, que reúne regravações de canções de Vinicius de Moraes, Martinho da Vila, Fito Paez, Chico Cesar, Candeia, Cazuza e Gilberto Gil, entre outros.

Como bônus, há mais oito faixas ao vivo de um show gravado em 1970, em Paris, com repertório de clássicos da música brasileira e Bossa Nova.

“Com este trabalho, festejo com orgulho e gratidão o meu ontem e o meu hoje, que vem a ser o meu sempre”, afirma a cantora.

Trata-se de uma das mais versáteis cantoras da música brasileira, tendo sido a única brasileira a figurar a capa da revista norte-americana Ebony (principal revista daquele país destinada ao público negro).

No imaginário musical de quem viveu os anos 1970, a cantora carioca é a vivaz intérprete de sambas e carimbós que lhe deram fama nacional naquela década áurea, porém a verve internacional herdada por seu pai, o extraordinário saxofonista americano Booker Pittman, fez dela uma das nossas principais cantoras de jazz. Eliana, que gravou dezenas de discos e se apresentou em mais de 30 países, continua sua carreira em plena forma se apresentando em shows solos e de formatos diversificados em projetos especiais paralelos como “Divas do Sambalanço” (ao lado de Claudette Soares e Dóris Monteiro) e “100 anos de Dalva de Oliveira” (ao lado de Agnaldo Timoteo, Marcio Gomes e Ellen de Lima).

Foto: Divulgação

Eliana é filha (adotiva) de Booker Pittman, importante saxofonista e clarinetista de jazz nascido em Dallas (EUA), que migrou para o Brasil a partir dos anos 1930, sendo carinhosamente apelidado de Buca por ninguém menos do que Pixinguinha (1897–1973), que também tocava saxofone, entre outros múltiplos atributos artísticos.

E agora a cantora lança Eliana Pittman Hoje, Ontem e Sempre, disco produzido por Thiago Marques Luiz, que traz como bônus um álbum ao vivo com registros de um espetáculo em Paris, que foi viabilizado quando Marques Luiz soube por Eliana que a cantora tinha no seu acervo particular de fitas de rolo gravações de shows feitos dentro e fora do Brasil nos anos 1960 e 1970. Uma dessas fitas reproduzia o áudio do show feito por Eliana na Cidade Luz. “Este disco é uma dívida que Eliana tem com seu público que não vê um disco inédito desde 1991 e é também uma dívida de seu público para com ela”, relata o produtor Thiago Marques Luiz. “Que eu possa realizar coisas bonitas na minha vida, ajudar as pessoas através do meu canto, trazendo esperança, paz e amor para cada um que escuta o som da minha voz”, finaliza.

Faixa a Faixa:

1 – O Morro Não Tem Vez (Carlos Lyra / Vinicius de Moraes / Tom Jobim); 2 – Gamei (Délcio Luiz / André Renato); 3 – Ex-Amor (Martinho da Vila); 4 – Drão (Gilberto Gil); 5 – Onde Estará O Meu Amor (Chico César); 6 – Até A Lua (Tião Carvalho); 7 – Preciso Dizer Que Te Amo (Dê / Cazuza / Bebel Gilberto); 8 – Preciso Me Encontrar (Candeia); 9 – Yo Vengo A Ofrecer Mi Corazón (Fito Paez); 10 – Tributo à Vaidade (Café / Iran Silva / Carlinhos Madureira).

Bônus – Show Paris 1970 Boate Don Camillo

11 – Aquele Abraço (Gilberto Gil); 12 – Garoto De Ipanema (Tom Jobim / Vinicius de Moraes); 13 – O Pato (Jaime Silva / Neuza Teixeira); 14 – Desafinado (Tom Jobim / Newton Mendonça); 15 – Big Spender (Cy Coleman / Dorothy Fields); 16 – Manhã de Carnaval (Luiz Bonfá / Antônio Maria); 17 – Ponteio (Edu Lobo / Capinan); 18 – Felicidade (Tom Jobim / Vinicius de Moraes).

Além do repertório do álbum, Eliana cantará, no show, sucessos que marcaram sua carreira, como “Das 200 para Lá” e “Mistura do Carimbó”, e prestar uma homenagem a seu pai, o saxofonista Booker Pittman, falecido há cinco décadas.

O show será transmitido do palco do Teatro Rival Refit para o canal da casa no YouTube.

O acesso é gratuito, mas você pode fazer sua doação espontânea.

Link do youtube Teatro Rival Refit

https://www.youtube.com/channel/UCJhwBwkonCUAsd4MYNrbwQQ

 

 

 

Categorias
Cultura Destaque

E as lives do teatro Rival Refit no Instagram continuam a todo vaopor

As lives de terça-feira, comandadas pelo produtor musical Marcos Salles, vai entrar no clima do pagode dos anos 1990, com a presença de artistas que participaram de grupos que se destacaram na época. O primeiro a participar é o cantor e compositor Charlles André, que emplacou sucessos do grupo Os Morenos, como “Mina de fé” e “Amor singular”. Ele é o convidado do dia 6.

E outubro ainda tem muito mais, além do samba. Tem live com sabor burlesco, comandado por Delirous Fenix, que recebe, no dia 7 (quarta-feira), a ex-vedete Eloína Ferraz, que fez muito sucesso nas décadas de 1940 e 1950 em espetáculos do teatro de revista.

No dia seguinte, dia 8, a cantora e compositora Patrícia Mellodi comemora a marca de 100 artistas convidados em seu Sarau da Mellodi, com uma superlive de duas horas com participação de um time animado: Rita Benneditto, Ana Costa, Daniel Gonzaga, Júlia Vargas, João Pinheiro, Fhernanda Fernandes, Honey, Valéria Barcellos, Teófilo Lima e Soraya Castello Branco.

Todas as lives rolam às cinco da tarde. Teatro Rival Refit, 86 anos de resistência cultural.

No Instagram @teatro.rival.refit

Horário: 17horas

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Rio

Agora é Teatro Rival REFIT!

Uma das casas de espetáculos mais tradicionais do Rio de Janeiro e do Brasil, o Teatro Rival tem novo patrocinador: a Refit, primeira refinaria privada carioca.

Símbolo de resistência cultural, a casa passa a assinar Teatro Rival Refit. E assim abre os trabalhos de 2020 com shows de grandes artistas.A nova parceria é a cara da casa, a cara da cultura carioca. Afinal de contas, a Refit tem estado ao lado do Rio de Janeiro e de sua história. “A Refit completou 65 anos em dezembro e orgulha-se de fazer parte da história da Cidade Maravilhosa. Colaboramos com o crescimento do Rio, e os investimentos realizados proporcionam diversos benefícios para os cariocas”, afirma Jorge Monteiro, presidente da Refit, que já patrocina o Cristo Redentor, um dos nossos mais famosos cartões postais.

Sob a gestão de Ângela Leal, o teatro, que completa 86 anos em 2020, tornou-se o berço de gerações da Música Popular Brasileira e espécie de lar para artistas de todos os estilos e gêneros. “O Teatro Rival foi inaugurado em 1934, com a peça ‘Amor’, de Oduvaldo Viana, estrelada por Dulcina de Moraes e Odilon Azevedo. Estreamos com ‘Amor’ e isso, por si só, é emblemático. É o amor que nos move. O amor por nossa cultura – e toda sua maravilhosa diversidade. Amor e respeito pela arte, pelos artistas, funcionários e público. A cultura é a alma do povo, e o Rival faz parte dessa alma. Por isso, a casa firma com nova empresa patrocinadora a fim de valorizar nossa carioquice e fortalecer nossa resistência cultural”, afirma Ângela, feliz com a promissora parceria com a Refit.

“Esta é mais umas das ações da empresa para mostrar nosso carinho e atenção pelo Rio de Janeiro. Nosso desejo em contribuir para o desenvolvimento da cidade está marcado em duas grandes iniciativas recentes: patrocinar um dos maiores eventos culturais do Rio, o Salão Carioca do Livro – LER, e o principal símbolo da cidade e atração turística: o Santuário do Cristo Redentor”, diz o executivo da Refit.

Atualmente, a Refit gera mais de mil empregos diretos e indiretos, e, por meio do projeto social Usina de Campeões, já favoreceu mais de 15 mil famílias de comunidades carentes. Se, na atual conjuntura, a cultura anda carente, o Teatro Rival Refit promete seguir lutando por ela, agora com novo “combustível”.

Categorias
Alessandro Monteiro | Circuito Carioca Colunas

Mira Callado faz apresentação no Rival

A cantora e compositora carioca Mira Callado apresenta-se no Teatro Rival, no próximo dia 26 de dezembro (quinta-feira), às 19h30. Ela vai mostrar canções próprias – como “Hoje é teu dia” e “Mentira” – e interpretar clássicos da MPB, além de sucessos pop e da black music.

Mira Callado participou da primeira edição do “The Voice Brasil”, programa da TV Globo, em 2012. Ela integrou o time de Carlinhos Brown, com quem dividiu o palco na final do reality show interpretando “Mas que nada”, de Jorge Ben Jor, acompanhados de ninguém mais, ninguém menos do que o maestro e pianista Sérgio Mendes.

Um pouco mais sobre Mira Callado

Filha de músico e compositor, Mira é publicitária e começou a cantar profissionalmente aos 24 anos em bares e casas de show. Passeando por diversos gêneros musicais, participou de várias bandas de estilos diferentes, mas gosta mesmo é de sambalanço e MPB.

Tornou-se conhecida nacionalmente ao fazer parte do “The Voice Brasil”, em 2012, conquistando, de cara, os jurados ao cantar “Mania de você”, sucesso de Rita Lee.  Apesar de ter sido integrante do time de Carlinhos Brown, Mira arrancou elogios de todos os técnicos por sua versatilidade e suas versões repaginadas, totalmente diferentes dos originais. Não à toa, teve uma das maiores torcidas da primeira edição do reality show brasileiro.

Após o “The Voice Brasil”, começou a fazer seus próprios shows com seu repertório, algumas releituras de músicas cantadas no programa e outros hits, cantando com grandes nomes nacionais e colegas ex-participantes do reality. Apresentou-se, inclusive, no Teatro Rival em 2013.

Em 2015, lançou o álbum “Meu vício” com canções de sua autoria e a faixa “Linda rosa”, composta por Umberto Tavares e Jefferson Júnior, sempre muito pedida pelo público em seus shows.

Serviço

Teatro Rival – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. Data: 26 de dezembro (quinta-feira). Horário: 19h30. Abertura da casa: 18h. Ingressos: R$50,00 (inteira) R$25,00 (lista amiga) Venda antecipada pela Eventim – http://bit.ly/TeatroRival_Ingressos2GIaEKp Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h Censura: 18 anos. https://www.teatrorival.com.br/ . Informações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: Estudante, Idosos, Professores da Rede Pública e Assinantes O Globo