Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio confirma segunda morte em decorrência da nova variante do coronavírus

 

A prefeitura do Rio confirmou hoje a morte, no Rio, do segundo paciente infectado com a nova variante do coronavírus.  Trata-se do primeiro caso de nova variante (P1) identificado na cidade: um homem de 46 anos, residente em Manaus. Trata-se, portanto, de um caso importado. O paciente veio transferido para o Rio de Janeiro em 3 de fevereiro e foi internado em estado grave na UTI do Hospital Federal dos Servidores do Estado. Mas não resistiu ao tratamento e morreu, na noite desta quinta-feira (18). Na terça (16), um homem de 55 anos também morreu após testar positivo para a variante brasileira do coronavírus no estado.

Os outros três casos, segundo a SMS, são mais brandos e classificados como síndromes gripais. Os pacientes já foram curados ou estão no fim do período de quarentena. Foram considerados casos autóctones, ou seja, de transmissão local.

Uma mulher de 36 anos, moradora da Freguesia, que começou a sentir os sintomas em 21 de janeiro, foi identificada com a B.1.1.7. Outros dois homens de 30 e de 40 anos, moradores, respectivamente, de Copacabana e Laranjeiras, também apresentaram a variante de Manaus. Os sintomas do primeiro começaram em 25 de janeiro e os do outro, em 1º de fevereiro.

Em nota conjunta divulgada nesta sexta-feira (19), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio)  informara que concluíram, nesta quinta-feira (18), a análise do histórico de em quatro das cinco pessoas contaminadas pelas novas variantes do coronavírus. Foi registrado um caso com a cepa do Reino Unido (VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7) e outros quatro com a mutação de Manaus (VOC P.1, linhagem B.1.1.28).

Cm exceção do paciente oriundo de Manaus, os demais são autóctones, ou seja, a contaminação aconteceu dentro do próprio estado. “Desta forma, a avaliação confirmou que as novas cepas já estão circulando em pelo menos um município do estado, o Rio de Janeiro, e provavelmente, Nova Iguaçu”, diz a nota.

Cuidados básicos e fiscalizações

Diante do novo cenário, a Secretaria Municipal de Saúde intensificou as ações de rastreamento de contatos e de testagem, para bloquear as cadeias de contágio dos casos de Covid-19, com o objetivo de prevenir a possível proliferação do vírus, incluindo as novas variantes. A autonotificação continua pelo aplicativo Rio Covid-19, nas plataformas iOS e Android, e pela Central 1746, com acompanhamento dos casos pelas equipes de saúde. Mais de 70 mil testes já foram realizados.

O órgão ressalta que é imprescindível que a população colabore com os esforços para evitar a proliferação do coronavírus, seguindo os cuidados básicos de prevenção: uso de máscara, higienização das mãos com álcool 70% e distanciamento social. Além de respeitar as medidas restritivas de proteção à vida para a faixa de risco alto. Todas as informações e orientações estão disponíveis no site https://coronavirus.rio, onde pode ser baixado o “Guia de medidas de proteção à vida”.

As ações de fiscalização na cidade também foram intensificadas para garantir que as normas restritivas de proteção à vida sejam cumpridas. Ações integradas desde o dia 15 de janeiro entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa-Rio), a Guarda Municipal e a Defesa Civil já passaram por 56 bairros, contabilizando 573 inspeções em estabelecimentos, 329 infrações sanitárias e 74 interdições.

A fila por leitos Covid-19 segue zerada no município, com nenhum paciente aguardando vaga especializada para internação. No momento, há 885 pacientes internados nos leitos da rede SUS na cidade, que mantêm uma taxa de ocupação de 72%. Na noite desta quinta-feira (18), não havia qualquer caso pendente à espera de regulação para leitos Covid-19 em nenhuma unidade da rede municipal.

Foto: ABr